Em Breve história completamente reformulada

Anúncios

As aventuras de Larry e Peter “O Mundo de Evolas” ( sendo reformulada)

Dragao

 

As aventuras de Larry e Peter O mundo de Evolas

 Escrito por Leonardo Nepomuceno

As aventuras de Larry e Peter

CAPITULO I  

Nasce um guerreiro

 Em uma cidadezinha ao norte da Inglaterra, havia um vilarejo, um vilarejo simples, e de pessoas humildes,

Grande maioria de seus habitantes fazia o cultivo de frutas e de legumes,

Bom quase todos, Neste vilarejo viviam dois jovens irmãos, Larry e Peter.

Os irmãos Larry e Peter  eram  garotos branco de sardas vermelhas cabelos da cor da cenoura, e seu irmão Peter também. Sua mãe a senhora Johnson era uma mãe calma tranquila e sempre deixava as crianças à-vontade, eles corriam pela a cidade nas horas de laser, os jovem se divertia brincando de cavaleiro.

Eram crianças típicas do vilarejo de Winterhold, os jovens irmãos moravam com sua mãe Maggie,Quando grande maioria dos habitantes cultivava, frutas e legumes, a senhora Maggie cuidava da criação de porcos, eram 5 porcos, todos deixado pelo Senhor Johnson, Pai dos jovens irmãos.

Como qualquer criança os garotos, viviam no mundo da fantasia, e imaginação…

Seu sonho era se tornar cavaleiros, os cavaleiros eram soldados imponentes, com suas armaduras lustrosas, espadas magnifica, cavalos grandes fortes, todos carregando a bandeira em nome do REI.

Aquela imagem fascinava os meninos, quando via a tropa passar logo  largavam seus afazeres e corriam pra ver a passagem dos heróis.

– Peter…

– Hum, diga Larry.

– Algum dia, eu vou ser um cavaleiro, e o mais bravo e forte de todos.

Peter olhou para o irmão, com uma expressão seria e disse.

– Irmão, eu também acho que um dia você será,  o mais bravo, o mais forte, o mais, mais… De todos.

– Serio irmão você acha mesmo?

– Mais é claro que não seu bobão,

Peter deu uma rasteira no irmão e saiu correndo pra dentro da casa.

– Sua peste, eu te pego volta aqui Peter. mãiiiieeeeeeeeee…

Larry para de perseguir o irmão, e olha com atenção fixando seus olhares para dentro da floresta.

Peter volta, e vê o irmão parado no meio do campo.

– Ei, Larry oque você acha que tem lá?

– Não faço ideia meu irmão, venha vamos pra casa, esta escurecendo.

A floresta dos perdidos.

Atrás do pequeno vilarejo residia uma imensa, e sem fim floresta, uma floresta temida por todos os habitantes soldados, e viajantes davam a volta pela as montanhas para evita-la, uma floresta cercada de feras, e criaturas desconhecidas.

Diz à lenda que quem entra jamais sai vivo muitas mães perderam filhos, e maridos em sua imensidão.

Falaremos desta floresta mais adiante da historia.

Realizando o sonho de cavaleiro significava deixar sua mãe Maggie sozinha, e clara os meninos.

Não queriam isso.

A casinha humilde, feita de troncos de arvores, e teto reforçado de palha, seu piso era de madeira,

Madeira essa doada por um morador local João o lenhador.

 

O lenhador era o único, com coragem suficiente para entrar na floresta e ainda sair vivo…

Muitos eram os curiosos que não entendia tal feito do rapaz João!

Há muito tempo… Seu pai havia matado um grande urso negro, e retirou sua pele.

Quando o lenhador precisava entrar na floresta, ele jogava a pele do urso sobre seu corpo e de alguma maneira a floresta não o fazia mal algum.

Esse segredo era guardado a sete chaves por João! E assim ele era o único a entrar na floresta

Dos perdidos.

O único até hoje!

O Lenhador João.

Certo dia, João estava cortando alguns troncos de arvore que ele havia retirado da floresta.

Após longas batidas com seu machado cortando pequenos troncos, João ouve uma voz sussurrando seu nome.

O Rapaz, logo interrompe os cortes, a voz parecia estar vindo da floresta, a voz era família para João.

– João, João meu querido, estou aqui venha.

-Pa-pa-pare COM ISSO.

Gritou o lenhador em direção floresta.

– Você esta morta, essa maldita floresta tirou você de mim.

O lenhador se ajoelha na terra molhada pela a chuva, e grita o nome de sua falecida amada.

– JOAANAAAAA.

Em uma noite fria, Joana por algum motivo havia entrado na floresta, e desde então nunca mais foi vista.

Uma vez ou outra, João entrava na floresta com sua pele de urso negro a procura de  Joana.

Assim como Joana, muitos habitantes se perderam na floresta, alguns diziam que ate bruxas viviam lá.

Ao cair da noite no pequeno vilarejo, criaturas estranhas e sombrias saiam de suas tocas, e cavernas em direção a Winterhold.

Tolos eram aqueles que se atreviam a sair do conforto de suas casas ao anoitecer.

E os que saíram nunca mais foram vistos! De certa forma o vilarejo tinha algum tipo de magia, magia essa era habitada na floresta. Ao cair da noite, as mães logo tratavam de chamar seus filhos para se recolherem, inclusive a senhora Johnson. Pois o povo do vilarejo  era visitado todas as noites por lobos, e feras famintas que saiam à noite para caçar.

– Meninos hora de entrar, já esta escurecendo.

– Venha Peter, cadê seu irmão Larry?

– Não sei mamãe ele estava atrás de mim, vou ver se ele esta no campo.

– Mais vai logo filho, não DEMORA.

Gritou a senhora Maggie para seu filho Peter.

Ao chegar ao local onde estavam brincando, Peter, vê Larry caminhando estranhamente em direção a floresta.

– Ei Larry vamos, a mamãe esta chamado já é tarde, precisamos entrar.

– Larry? Ei Larry, para de brincar… Não tem graça.

Larry parecia estar hipnotizado, o garoto estava com os olhos fixos na floresta, logo mais a enfrente, estava a residência de João o lenhador local, João conseguia ouvir Peter chamando pelo o irmão.

– Larry, ei Larry vamos irmão acorde.

A floresta parecia chamar pelo garoto, era como um ímã.

João sai de sua cabana em busca da voz do garoto que chamava pelo irmão, a voz do garoto já era de desespero.

– Larry, acorde! Vamos…

– Já próximo da casa do lenhador já era possível enxergar os meninos vindo em sua direção.

O lenhador vai de encontro ao meninos querendo saber o que estava acontecendo.

– Calma criança…

– Meu irmão. Ele esta estranho não fala comigo e só o que faz é caminhar.

Peter apontou em direção à floresta.

– Essa não, vamos garoto, segure-o o máximo que poder.

– Vo, vo vou tentar, aonde o senhor vai?

– Vou buscar minha pele.

– Pele? Não entendi. Eu não ENTENDI.

– Carambolas, ei Larry acorda, vamos acorda.

João corre desesperado pra sua casa, a procura da pele que usa para entrar na floresta.

– Ei senhor João, não posso aguentar por muito tempo… ele esta correndo…

Larry começa a correr ferozmente em direção a floresta dos perdidos…

Quando finalmente João chega com a pele de urso em suas mãos era tarde de mais, Larry havia sido engolido pela a floresta.

– É tarde de mais para ele garoto, lamento…

– Não, não pode ser eu vou atrás dele.

– Espere garoto, você não dura 5 minutos lá dentro, vou com você.

Então desesperados, Peter, e o Lenhador João saem em disparada atrás de Larry.

– Há, onde estou.

Larry sai do transe e se vê envolto de uma mata escura, e sinistra…

A neblina ocupava boa parte do local, sons de animais ecoavam sobre os ouvidos do menino, e sons já mais ouvidos por humanos, a floreta era envolta de arvores imensas que chegavam a mais de 20 metros de altura, e algumas ainda maiores, o local era repleto de vários arbusto diversificados. Os sons que antes perturbavam os ouvidos de Larry, agora havia sessados.

Tudo estava em um repleto silencio.

Larry começa a ficar mais assustado ainda, atrás de uma arvore o garoto se agacha e começa a olhar atentamente por todos os lados. Temendo algum animal avançar.

Logo a frente um arbusto começa a se mexer, o som daquelas folhas se movimentando, diante do vento que ali soprava… era assustador.

– Há, Calma Larry, foi apenas o vento, foi só o vento…Preciso sair daqui.

Num extinto de proteção Larry envolve seus braços em torno de sua cabeça, e mais uma vez o mesmo arbusto começa a se mexer, mas desta vez não havia mais vento.

Com um medo incontrolável Larry volta a por a cabeça entre os braços.

uma respiração de ritmo acelerado entra nos ouvidos do garoto, quando em segundos Larry sente uma mão sobre seus ombros.

– Ei Menino?

– HAAAAAA…

O grito do garoto fez com que alguns animais respondessem ao som de medo do menino.

– Queee, Quem é você?

– Calma querido esta tudo bem.

– Sou Constance. Oque você faz anoite na floresta? Não sabe que ela é perigosa para um garoto.

– Constance era um moça jovem bonita, de cabelos negros e olhos azuis da cor do céu de Winterhold.

Sua pele era branca como as neve que chegava no inverno do pequeno vilarejo Constance usava um vestido preto que cobria todo seu corpo, seus cabelos estavam soltos cobrindo uma pequena parte de seu rosto.

– Bom senhora na verdade não sei como vim  parar aqui!

– Oque faz aqui na floresta?

Perguntou o garoto ainda meio confuso.

– Vim colher frutos para meu marido, ele esta muito doente.

– Hum, a senhora não tem medo de ser atacada por algum animal?

– oh, não querido… Eles não ousariam me atacar.

Larry olhou para a jovem moça ainda mais confuso. A jovem moça olha em seus olhos, e o garoto sente seu medo aumentar.

– Olha senhora eu preciso achar o caminho de volta pra casa, preciso ir tchau.

– Não quer minha ajuda querido? Posso ser útil. Conheço muito bem a floresta, para onde esta indo?

– Para o vilarejo de Winterhold.

– Ow, eu conheço este vilarejo.

– Verdade? Então por favor, senhora me ajude.

– Claro meu doce.

Enquanto Larry conhecia mais a jovem moça, Peter e João ainda procuravam pelo o garoto.

– LARRY, LARRY, LARRY,

– Menino Larry, vamos garoto apareça.

Do outro lado da floresta Larry houve a voz de seu irmão chamado por ele.

– Estão procurando por mim senhora.

– Que bom querido, deve ser seu irmão.

– como sabe que tenho um irmão?

– Foi um palpite querido.

O garoto olhou para a moça, e viu sua expressão ficar diferente, como se outra pessoa tivesse tomando conta de seu corpo.

– Vamos querido, temos que nos apressar.

Precisamos voltar Menino Peter, estamos muito longe do vilarejo… Há essa hora, Larry deve…

– Não podemos desistir ainda João, sinto que ele esta perto. LARRYYY.

– Xiuuuu, espere menino Peter, algo nos espreita, veja aquela moita – João segura solta sua mala onde guardava a pele de urso, e com a outra mão segura um machado, João da um beijo no objeto já esperando por algum animal o atacar.

A moita se movimenta e o som das folhas deixa João e Peter em alerta máximo.

– Vamos moça, eles estão perto.

– LARRYYYY, ei LARRYYY…

– PETERRRR, você me achou.

– Veja João achamos eles.

Todos estavam feliz por terem encontrado Larry.

– Ei, pessoal quero que conheçam Constance ela me ajudou.

– Quem Larry?

– Constance.

– Larry, não tem ninguém aqui além de nós.

– ma, ma, mais, ela estava aqui comigo.

– Ei Constance, Constanceeeee?

– Não intendo.

Todos dão as constas para o caminho onde Larry havia vindo…

O uivo de um lobo entra sobre os ouvidos dos novos visitantes da floresta.

– Oque foi isso?

– Um lobo garoto, precisamos ir…

– Não precisamos encontrar Constance.

– Vamos Larry não discuta.

– João, Peter, e Larry saem correndo em direção ao vilarejo.

Certo, tudo bem vamos…

Os uivos começaram a ficar ainda mais intenso, os sons se multiplicaram.

– Vamos estamos quase lá…

– João olha para trás e vê uma martilha de lobo atrás deles.

– Não olhem para trás garotos continuem correndo.

Os lobos eram negros da cor da noite, seus olhos eram vermelhos, mais não eram lobos comuns já que seu tamanho era maior 5x mais que um lobo comum.

Como magica um lobo surge na frente do pequeno grupo, seus olhos vermelhos brilhavam naquela noite, sua pelagem negra mostrava o quão assustador era aquela criatura, suas presas eram do tamanho de um dedo dos meninos.

O outro grupo da martilha se aproxima e faz um cerco diante do grupo.

João o lenhador entra na frente dos meninos gritando alto e bom som “PARA TRÁS”

Com seu machado ele balançava de um lado para o outro, na tentativa de afastar os lobos ferozes.

Havia um lobo diferente na martilha, muito maior e mais assustador, era o Alpha da pequena martilha.

Ele se aproxima de Larry, Peter, e João, o corajoso lenhador continuava a dar golpes no ar com seu machado para afasta-los.

A fera continua a se aproximar.

– Para trás criatura, para trás, você não vai fazer mal a essas crianças!

O lobo continuava a se aproximar.

– Larry e Peter estavam desesperados, já imaginando o pior.

E o lobo continuava a se aproximar. Sem esperar o grande lobo desfere uma patada em direção a João e seu machado é lançado longe. João cai no chão e começa a rezar.

– Larry, começa a falar pra si mesmo, as palavras… PAREM.

– PAREM, PAREM,PAREM COM ISSOOOOO!!!

Larry grita e todos os animais da floresta respondem com seus diferentes sons.

Larry se ajoelho  no chão, e diz para Peter se esconder em um lugar seguro.

– Irmão.

– Oque esta acontecendo com você Larry?

– Não é nada, corra… Agora.

Larry olha para o irmão, e Peter vê seus olhos com um brilho intenso, avermelhado que ofuscava os olhos de quem olhava direto.

Em suas mãos surgiu uma espada de porte médio, linda…em sua ponta havia um Rubi, sua lamina era vermelha, um vermelho fosco. A lamina brilhava, parecia pedir por sangue…

– Jovem guerreiro, sou safira. Sua protetora, você me chamou.

– Defenda seu irmão, defenda, seus amigos, defenda sua família.

Os olhos de Larry haviam sessado o tom intenso do vermelho, seus olhos que eram azuis, deram lugar ao vermelho.

O garoto parecia diferente.

– Peter.

Larry olhou para o irmão e disse

-Corra!

– Corra irmão!

– Não vou deixar você aqui.

Oque esta acontecendo?

João segurou Peter pelos os braços- não discuta garoto.

João olhou para Larry e viu a própria morte no garoto.

Os lobos ameaçaram ir atrás de João, e Peter, mais Larry não deixou  garoto desafio toda martilha.

– O Alpha do grupo, foi recuando aos poucos, e deu um uivo,  toda a martilha foi para cima de Larry.

– VENHAM.

Dois lobos pula encima de Larry e o garoto faz um movimento tão rápido que a dupla assassina não pode captar.

Os dois são cortado ao meio.

Eram 6 lobos contanto com o Alpha.

O Alpha assisti a batalha como que se já soubesse da derrota.

Os lobos atavam, avançavam, mordiam e Larry desviava de todos os ataques, um dos lobos se aproxima furtivamente do menino, salta encima de Larry, o garoto desvia dando um passo para o lado chuta a fera que cai inconsciente após  bater  violentamente em uma arvores.

Os 2 lobos restantes olham para o Alpha aguardando aprovação para retirada.

O lobo maior de todos se aproxima de Larry, cerca de 2 metros de distancia, a  criatura começa a tomar forma. Os pelos negros começaram a virar pano, os olhos negros deram lugar a um azul intenso, a pele negra, se transformou em pele.

– CONSTANCE?

Disse o menino fadigado da batalha.

– Tenha cuidado meu REI, ela é uma bruxa.

– BRUXA?

-SIM! Eu te atrai para esta floresta para acabar com sua vida e de seu irmão.

– mais por quê? Oque fizemos para você?

– Ainda nada, mais iram fazer.

– Lembre-se garoto. Vamos nos encontrar e da próxima vez não cera___2 tão fácil.

Acabem com ele meus filhos.

Num piscar de olhos, a bruxa se transforma em um corvo e sobe para o céu, sumindo em meio à neblina.

Os 2 últimos lobos olham para Larry fazem um rugido ameaçador, e saltam para um moita. Eles fogem!

– Lutou bem jovem guerreiro.

-Não intendo, tenho muitas perguntas… De onde você veio?

– Essa é fácil  responder, vim de você.

– De mim? Mais como assim? Você não é quem pensa jovem herói.

– Herói? Não sou um herói, porque me chama assim? Porque me chamou de rei?

– Tem razão ainda não é. Mais será…e sim! Você é um rei. Será um rei…

Busque respostas em evolas.

– Evu oque?

– Evolas.

– Agora volte…sua mãe saberá responder.

– Minha mãe?!

– Sim. Agora vá.

– Seu irmão precisa de você.

E essas foram as ultimas palavras da mística espada safira.

– Meu irmão, Sr. João ele esta morto.

– Calma menino, ele não esta.

– Como tem tanta certeza?

Em meio a matos e arbustos surge Larry todo ensanguentado.

– LARRYY.

Peter vai de encontro ao irmão.

– Isso é sangue? Você esta machucado? Esta doendo irmão?

– Não Peter, eu estou bem. Esse sangue não é meu, esse sangue  é dos lobos.

– Isso é impossível. Você acabou com todos eles?

– Acho que sim irmão.

Larry parecia abatido, cansado, sua voz estava lenta, o menino estava esgotado, como se algo tivesse sugado toda sua energia.

– Mais como? De onde veio àquela espada,  seus olhos estavam brilhando!

– Ah, a espada se chama safira.

– UAUU, ela tem um nome. Você que deu?

– Não irmão ela já tinha este nome, ela me disse.

– UAUU, ela também fala.

– Calma Peter, vamos…temos que conversa com a mamãe.

– Senhor João muito obrigado por ter nos ajudado, por ter cuidado de Peter.

– Foi um prazer Garoto Larry.

– Depois conversamos sobre oque aconteceu.

Larry balança  a cabeça com um sinal de positivo.

– Mãe, Mãe, voltamos.

– Oh meu senhor, oque aconteceu por onde andaram? Larry oque aconteceu com você meu filho…

Isso é sangue na sua roupa?

– Sim mamãe. Precisamos conversar…

O garoto olhou seriamente para Maggie.

– Bom tudo bem, venha se limpar.

Após um bom banho, Larry sentou com sua mãe e contou tudo oque havia acontecido.

– Onde encontro Evolas mamãe?

– Eu sabia que esse dia, um dia chegaria, Evolas é um mundo de magia, onde  habitam muitas criaturas, guerreiros, dragões, fadas, bruxas.

– Há muitos anos seu Pai Michael, apareceu em casa contando que tinha descoberto um mundo maravilhoso, encantado…

A floresta dos perdidos nem sempre foi assim sabe, era uma floresta linda os animais eram felizes, dava até pra passar a mão neles.

Mais estranhamente uma força obscura tomou conta da floresta, qualquer um que entra lá nunca sai vivo.

Essa bruxa que você viu filho, Constance é a senhora de todas as bruxas de evolas, a floresta esconde uma passagem que da acesso a Evolas.

Seu Pai esta em evolas, lá em algum lugar. Ele se tornou o protetor deste mundo…

Algumas semanas atrás recebi uma mensagem dele, que um dragão se alto intitulando o senhor de evolas estava destruindo todo o mundo encantado.

Seu nome é Eridor.

– Um dragão? Isso é incrível mamãe.

– Mãe, eu…

– Eu sei querido, eu sabia que um dia vocês teriam que ir…

No quarto de você embaixo de sua cama Larry tem uma passagem que leva direto a Evolas. Não sei exatamente em qual local…mais vocês precisam seguir seus destinos.

– Vá querido, vou ficar bem!

Larry olhou para o irmão esperando sua aprovação para iniciar a jornada.

– Antes preciso me despedir de João, ele nos ajudou muito na floresta.

-Certo querido, vou arrumar a bagagem de vocês.

Maggie não queria demostrar mais estava muito triste, por ter que ver seus filhos partir para evolas, já que Michael também havia partido.

– Ei Larry, você não esta assustado com tudo isso?

– Sim Peter e muito. Não sabemos oque vamos encontrar neste mundo…

Em poucas caminhadas os meninos chegam na cabana de João.

– Senhor João, somos nós Peter e Larry.

Os garotos batem na porta e a terceira batida abre a porta, o local estava escuro vazio, os moveis eram todos feitos de madeira, havia uma mesa feita de pedaços de arvores cortadas,e  pequenos troncos de arvores eram usados como banco.

– Vamos Peter ele não esta.

 

O Mundo de Evolas

Como sua mãe Maggie havia dito aos meninos abaixo da cama de Larry havia uma ferradura que dava acesso a um porão.

– Quando os meninos a abriram tinha uma escada que dava acesso a um lugar escuro difícil de enxergar, ou intender oque havia lá embaixo.

Os garotos se despedem de sua mãe, ela acena com a cabeça, um sinal de aprovação.

Larry começa a descer a escadas primeiras e Peter aguarda para chegar a sua vez.

– Pronto. Peter venha.

– Peter meio desconfiado começa a descer a pequena escada feita com madeira, àquela escada parecia estar ali fazia séculos, a cada descida de Peter o material rangia.

Diante dos irmãos surgia um ambiente fúnebre, frio, a caverna era repleta de goteiras que gotejavam sobre o solo todo feitos de pedras.

Seus cantos havia pequenas estacas fincadas com fogo, acho que era para clarear o lugar.

Larry pega um desses pedaços de madeira para poder iluminar o caminho.

Mais ao fundo da caverna, havia uma fogueira e junto dela tinha um pequeno cobertor, e utensílios feitos de ossos, aqueles objetos deixaram os garotos um pouco assustado. Porque havia sinal de residente ali.

– Ei Larry.

– Fala Peter quem será que vive aqui?

– Eu não sei.

– Peter.

– Sim irmão. Porque você esta sussurrando?

– Eu não sei.

– Então fica quieto, vamos andando…

– Larry.

– Sim Peter.

– Quando encontrarmos nosso Pai, oque vai dizer a ele?

– Eu não sei, quando você o vê… Oque você ira dizer a ele Peter?

– Também não sei.

Os garotos estavam com certo medo de encontrar o pai porque, afinal eles não o viam desde os.

Três anos de idade.

Faltando apenas alguns passos para o fim da caverna os garotos  pararam olham entre si, dão as

Mãos e atravessam o grande clarão da caverna.

Quando os garotos abrem os olhos se deparam com um mundo totalmente diferente do aquele que eles conheciam, havia muitas montanhas, um céu de uma  cor laranja, devia ser pelo fim de tarde não se sabe. Mais era lindo de se vê.

Grandes aves sobrevoavam os céus, cantando suas belas canções, dando rasantes no ar, cortando as nuvens com suas belas asas.

Mais a frente os garotos se deparam com uma visão diferente do que estava no céu.

Suas expressões mudaram, o sorriso se foi, e deu lugar a uma expressão seria, e com sentimento de medo.

As arvores estavam secas, queimadas, como toda a vegetação do lugar.

Havia umas  criaturas pequenas estiradas no chão, como se tivessem perdido uma grande batalha.

Os garotos se  aproximam  dos corpos e um pequeno anão sussurra!

– Cuidado com aquele que vem do céu.

– Os irmãos olham entre-se, olham atentamente para o horizonte e não conseguem ver nada.

– O que aconteceu aqui? Perguntou Peter para o pequeno ser.

– Dra, draa dragão, estas foram suas ultimas palavra.

– Dragão? Que isso não existe dragões não é Larry?

– Assim como não existe anões de armaduras?

Disse Larry com uma voz preocupante, estão todos mortos!

Os irmãos pegam uma espadas de aço, e escudos reforçados dos anões.

Algumas manoplas, e botas vieram a calhar.

Aquelas espadas longas e pesadas eram um pouco de mais para os nossos jovens mais eles

Davam conta de impunha-las.

Mais eles não estavam sozinhos, algo estava a espreita observando os passos, e movimentos dos garotos. Um estalo ecoa mais a frente na vegetação, os irmãos ficam segundos sem respirar, quando de repente de traz eufórico surge um anão esbravejando.

POR EVOLAS!

 O GENERAL SKY.

O pequeno guerreiro tinha uma barba longa cabelos liso da cor do ouro, olhos azuis da cor do.

Céu, seu nariz era um tanto desproporcional para sua face, mais a pequena criatura tinha um físico muito forte para sua estatura. Em uma de suas mãos ele carregava um enorme martelo que quase era maior sua estatura, um martelo lustroso, bonito e com alguns resquícios de sangue em sua base.

O anão vai em direção de Peter que consegue se defender com o escudo mais com a força do

Golpe o menino cai no chão, o anão era bem ágil, e já parte para cima de Larry que defende com sua espada, são dados vários golpes em direção ao garoto o menino consegue defender todos, quando em questão de segundos, Larry esquiva e desfere um contragolpe no anão que cai violentamente no chão.

As habilidades do garoto estavam melhorando como se naquele mundo seu sangue de guerreiro desperta-se. Com a ponta das espadas nos olhos do anão, Larry diz fadigado…

-Não somos seus inimigos.

– vocês  as armaduras dos meus irmãos pegam suas espadas, encontro todos mortos, oque devo pensar garoto.

– Pegamos para nós defender do dragão.

– Dragão? Você o viu?

– Não.

O anão se levanta tirando uma quantidade de terra em sua armadura.

-Quando chegamos eles estavam no chão todos mortos.

Lamenta o anão a morte de seu irmão de batalha, os anões eram muito leais a seus amigos na batalha um defendia o outro, eram criaturas extremamente habilidosas com armas, apesar de serem pequenos eram muitos ágeis, seus golpes eram letais. Aquele que entrava em uma batalha com um anão dificilmente saia vivo.

– Ou, Cabeça de martelo, um ótimo guerreiro, lutou em muitas batalhas ao meu lado…

– Este era a cicatriz, guerreiro formidável muitas bruxas cairão sobre sua lamina.

A maioria dos anões eram todos parecidos a não ser pela sua cor de cabelo, e olhos, outro tinha uma estatura um pouco elevada.

O anão olhou para os corpos, e segurou seu enorme martelo sobre o peito em sinal de.

Respeito aos caídos.

– Ei garoto pegue aquele tronco.

– Hum, tronco?

– Sim!

– Preciso levar seus corpos para casa, hoje esses soldados não dormiram ao lado de suas esposas,

E não verão seus filhos.

– Isso é triste, mais eu não aguento aquele tronco senhor.

– Garoto molenga. Eu cuido disso.

Sky pega o tronco com dos seus braços, e começa a corta o tronco em pedaços com um.

Machado que levava em sua cintura.

A cada descida do machado o troco era partido, era incrível a força que aquele anão possuía.

– Sabe garoto. Teve sorte em me derrubar.

Disse o anão apontando o machado para Larry!

– foi fo foi sorte senhor.

– Ou, que cabeça a minha gritou o Anão.

– Sou sky general dos anões.

– Uau, um general!

– Sim filho e um dos melhores, bom… na verdade sou o único.

– Disse o Anão em gargalhadas, sou o único.

– Run, Run, é de onde vocês vieram? Logo se percebe que não são daqui.

– Somos de Winterhold senhor.

– Winter oque meu filho?

– Somos de outro mundo senhor.

O anão ficou olhando para o tronco pensativo!

– Ou sim intendo.

– Eu me chamo Larry, e este é Peter meu irmão.

– Silencio.

– Há algo a espreita fique em alerta!

O anão pega seu martelo e fica em posição de guarda.

O som do estalo aumentou, deixando os irmãos ainda mais em alerta, Peter olhava para um

Lado olhava para o outro e nada via.

Quando em um piscar de olhos, um tigre  salta da vegetação para cima do pequeno

Grupo.

Não era um tigre comum, era branco, e tinha listras laranja, seus olhos eram azuis, mais oque chamava a atenção era o seu tamanho a criatura em posição normal era mais alta que Larry, sua pata era maior que o tronco dos garotos.

O enorme tigre desferiu uma tapa, e consegue derruba sky no chão, com a calda passa uma rasteira em

Peter que cai no chão bruscamente.

A fera vai em direção de Larry para em sua frente, o peito da criatura alcançava a cabeça do garoto, o tigre era realmente imenso.

A enorme criatura se aproxima e cheira Larry, e faz um som que sai do fundo de seu peito, um URRO que faz o cabelo do menino se mexer, algumas aves que sobrevoavam ali partem para outra direção.

Além de Larry a criatura cheira Peter também.

A criatura olha para Sky, rosna e salta em direção à floresta.

– Mais oque foi isso? -Disse Peter gritando já que o rugido o deixou sem ouvir direito.

– Isso meu jovem foi um tigre branco eles dão sorte.

– Sorte? Vocês viram o tamanho daquela coisa?

Ele poderia engolir todos se quisesse.

– Acalme-se pequeno… Se ele cheirou seu irmão e você é por que deve ter um motivo.

– E como tem tanta certeza Senhor Sky?

– Ele não o engoliu vivo.

– Oh, Sim. Suas palavras são confortantes.

–  O que esta acontecendo aqui? Por que os dragões estão atacando este mundo?

– Ah, meu jovem é uma longa história.

Sky bate as mãos sobre sua armadura removendo a poeira, pega seu machado, e martelo e

Sem perda de tempo… Começa a empilhar os corpos em uma marca improvisada de madeira!

– É apenas um Dragão. O pior de todas uma criatura vil, cruel… Mata-te sem pestanejar.

– RAAAAAAAAARRRRRR!

Peter cai no chão com a performance de susto do anão.

– AHAHAHA, AHAHAHAHA… Calma garoto -HAHAHAHA.

– Rum Rum…

– Este dragão se alto intitula Senhor de Evolas.

O anão anda em direção a  floresta, puxando a marca improvisada com os corpos dos anões.

– Ei, para onde você esta indo?

– Estou voltando para meu vilarejo, preciso avisar as famílias de nossos guerreiros que hoje.

Eles não voltam para suas casas.

– Podemos ir com você?

– Não sei garoto é perigoso de mais, não quero dois meninos atrás do meu cangote enchendo.

Minha paciência.

– Por favor, temos uma missão aqui.

– Por favor, senhor Sky, achamos que  nosso pai esta aqui em evolas.

– Qual o nome do pai de vocês?

– Michael. Senhor!

– Michael? Conheço um guerreiro com esse nome.

– E como ele é meu jovem? Diga suas características.

– Não sei. Larry deve lembrar mais dele.

– Diga-me suas características garoto Larry.

-Lembro muito pouco dele Senhor Sky, mais ele tem cabelos longos ruivos e olhos claros.

-Isso é o suficiente pra mim garotos. Em toda evolas só há um humano como você descreveu.

– Venham precisam conhecer uma pessoa.

– Que pessoa?

– Meu Rei.

– um rei? Nunca conheci um rei.

– Não é legal Larry?

– É Peter.

– Então vamos, o caminho será longo.

– Senhor sky?

– Sim garoto.

– Como o senhor sabia que seus irmãos precisavam de você?

– Todos nós anões somos conectados garoto.

– Isso que nos difere de guerreiros formidáveis!

 

Após muita caminhada, nossos heróis já deixam para trás o cenário seco onde havia acontecido a batalha sangrenta entre o dragão e os anões.

Logo à frente arvores  imensas estavam por toda  a parte, e encima delas havia pequenas cabanas construídas com madeira.

Larry olhava ao redor se perguntando como as casas ficam encima dessas arvores sem-cair.

– Chegamos garotos.

– UAU, como essas casas ficam encima das arvores sem cair senhor Sky?

– Somos ótimos construtores meu jovem.

Sky para diante a uma enorme arvore, seu comprimento perdia de vista, seu tronco era extenso, era uma arvore robusta forte e saudável. Sky olha para cima e grita.

– SOBEEEEE RESMUNGÃO.

– um som auto de correntes começa a se aproximar, uma enorme gaiola feita de madeira desce ferozmente de cima. Até bater brutalmente no solo.

– COM CUIDADO RESMUNGÃO.

Gritou o Anão para o amigo lá do alto.

Larry, e Peter e sky, entram na grande gaiola de madeira. E mais uma vez sky grita.

– SOBE RESMUNGÃO.

E a gaiola sobe lentamente a caminho de seu topo.

Na subida dava para ver quase todo o vale da floresta, era tão alto que as nuvens tomaram conta da visão dos jovens. Ventava muito e a gaiola balançava de um lado para o outro.

Apos alguns minutos de subida, finalmente chegam a seu destino.

No topo da arvore havia um anão de idade bem avançada segurando uma alavanca na entre as mãos, era o resmungão.

Um anão já de cabelos grisalhos, e com muitas cicatrizes por todo seu braço.

Parecia que o anão estava fazendo aquilo por muitos anos, ou quem sabe séculos. Seus braços eram fortes e musculosos para alguém da sua idade.

O anão também possuía olhos claros.

Não muito longe uma ponte extensa separava uma arvore da outra, a ponte era forte feita de tronco de arvore no canto de toda sua extensão havia uma fileira de tochas acesas, com tanta ventania não se sabia como elas permaneciam acesas.

Do outro lado da ponte, havia um trono todo coberto de folhas, sobre ele um Anão estava sentado segurando um enorme machado.

– Meninos esperem aqui. Antes de apresenta-los para meu REI preciso informar as noticias do dia.

Os garotos acenaram com a cabeça, em sinal de positivo.

Sky deixa os garotos aos cuidados de resmungão.

– Olá senhor.

Disse Peter para o anão que ali os observava.

O anão nada disse.

Do outro lado da ponte Sky se apresentava para seu REI.

– Trago noticias meu REI.

Rei telo como era chamado, era um anal diferente dos outros, sua estatura era mais alta,

diferente dos outros anões REI Telo, possuía olhos negros, Seus cabelos eram cumpridos e lisos,sua barba tinha tranças que alcançavam seus joelhos.

em sua face havia uma cicatriz que cortava um dos seus olhos.

Era a cicatriz de um corte de espada, um de seus braços era gravado uma outra cicatriz em formato de guerras.

O oponente anão usava uma lustrosa armadura de ouro.

seu gigantesco machado tinha as laminas feita de prata, seu pumo pousava um cranio de algum animal desconhecido.

– Diga General.

A voz do anão era forte ríspida, era como seu trovão tivesse pronunciando palavras.

– Meu Rei, alguns de nossos combatentes foram derrotados, tudo indica que foi o Dragão.

– Essa fera esta causando muitos problemas.

– Continue…general.

– Isso é tudo meu senhor, Bom…quase.

– Quase?

– Bom, meu senhor, temos visitas.

– Como assim visitas general explique.

– Encontrei na floresta os filhos de Michael.

– Michael?

– Sim meu senhor, Michael o guerreiro?

– Sim meu senhor.

– Quero conhecer esses jovens.

Sky da um sinal, Larry e Peter irem ao seu encontro.

– Vão meninos.

Disse resmungão, o velho anão começou a empurrar os garotos ate o principio da ponte.

– Eiii.

Disse Peter ao velho.

– Vocês tem que ir, vocês tem que ir vão,vão.

Disse resmungão aos irmãos.

A ponte suportava uma grande quantidade de peso, o vento dificultava sua travessia, com um pouco de esforço os irmãos conseguem chegar a seu destino, e deram de cara com o oponente REI.

– Então esses são os filhos de Michael.

– Sim me rei.

Disse o General.

O Rei se levanta de seu trono segura seu machado em uma das mãos, e se aproxima dos jovens que ali estava em sua presença.

Peter olha para o Rei que quase era da sua estatura, Rei telo era um pouco mais alto que o garoto de 12 anos.

– Olá senhor, sou Peter, e este é meu Irmão.

O rei nada respondeu, apenas ficou olhado para os garotos, o rei parecia olhar nos fundo da alma.

Após muito observar. O rei pede para um criado dar comida, e aposentos para os jovens.

Rei telo olha novamente para os meninos alisa sua barba por toda sua extensão e se retira para seu aposento.

– Hum, muito estranho.

– Oque é estranho senhor sky.

– O rei, nunca vi ele agir desta forma.

– Isso é bom ou ruim.

– Depende meu jovem. Depende.

Anão, leve os meninos para seus aposentos.

– Sim general.

Ao cair da noite, todos os guerreiros anão se reúnem a fogueira, para comer, beber e dançar!

Era como um ritual para os pequenos.

Larry, e Peter foram convidados para participar da festa, lá todos estavam dançando comendo, e outros apenas sentados observando a linda noite.

Como comida, eles assavam uma grande e suculento javali.

nas mesas feitas de madeira, havia muitas frutas  e bebidas.

Rei telo do seu trono apenas observava a festança.

Uma hora, ou outra chamava Sky para decidir alguns assuntos.

– Sky, quero que mande chamar RAKIN.

– Rakin? por qual motivo meu REI?

– Não me questione general apenas chame-o até aqui.

– Então, sky ordena para que o anão serviçal do rei chame RAKIN.

RAKIN – O FEITICEIRO

Das sombras RAKIN o feiticeiro surge.

– Chamou meu REI?

– Sim Rakin, quero que veja esses meninos. Preciso confirma uma suspeita.

– Sim meu REI.

Sussurrou o Feiticeiro.

Rakin, era Alto, mais muito alto para ser um anão.

usava uma roupa preta, eu capuz que o cobria todo seu rosto, apenas REI telo conhecia sua face.

Dizem que Rakin, foi o responsável pela a morte de um dos maiores magos de evolas, o mago jafar do reino da escuridão.

Rakin lutou em varias batalhas ao lado do grande rei Telo.

O feiticeiro era de absoluta confiança do rei. Poucos ousavam desafiar feiticeiro.

em uma de suas mãos rakin segurava um cetro feito de ossos de dragão.

– RAKINNNN.

– RAKIN, veja se os nossos pequenos humanos são dignos de estarem aqui.

– Sim majestade.

Retrucou o majestoso feiticeiro.

RAKIN passou o cetro sobre a cabeça de Peter fazendo o espirrar, talvez fosse pelo o medo

mais quem não teria não é verdade?

– Sim majestade este é digno de estar aqui.

– Veja se és de coração pura.

– Sim majestade.

Outra vez o cetro é passado pela cabeça de Peter.

– De coração puro meu rei. Mais devo avila-lo que algo habita dentro deste menino.

Peter olhou assustado para o Irmão sem intender nada.

– Muito bem! já suspeitava.

– Veja o garoto de nome Larry.

– Sim meu rei.

Agora é a vez de Larry ser testado, o cetro é passado por sua cabeça.

É o rei pergunta.

-És digno de estar aqui RAKIN?

– Sim! Majestade.

– Veja seu coração se é puro.

– A suas ordens meu senhor.

Ao passar novamente o cajado sobre a cabeça de Larry, o feiticeiro sente uma sensação

estranha.

Que o fez cambalear, todos acharam que o grande feiticeiro fosse cair.

– RAKIN, diga oque esta acontecendo!

– Meu senhor, este menino tem algo  de ruim dentro si. Assim como o outro humano!

– a a a a, alguma coisa de ruim?

– Sim!

– Alguma coisa habita dentro de você.

– Oque é? Diz?

– Peter toma a palavra e diz que o irmão derrotou sozinho uma alcateia de lobos. e que estava estranho.

Então Larry conta oque aconteceu.

– RAKIN tem mais alguma coisa a nós dizer?

– Não meu senhor.

– Então Pode se retirar.

– Como ordenar meu rei.

– Por hora isso é tudo.

– Diga meu jovem como derrotou uma alcateia de lobos?

Larry contou ao rei tudo oque havia acontecido naquela noite.

Impressionado com a historia contada rei telo fez algumas perguntas ao jovem

– Diga garoto Larry, sentiu algo estranho dentro -si naquela noite?

– Seus olhos arderam?

– Sentiu a necessidade de matar?

Alguma força de outro mundo fez contato?

Larry sem pensar muito respondeu todas as perguntas.

– Sim Senhor.

Era como se algo me controla-se, meu olhos ardiam, eu queria muito dar fim naqueles lobos, tive ajuda de uma espada, seu nome é safira.

Quando eu estava perdido e sozinho naquela floresta uma moça me ajudou, ela estava na floresta sozinha assim como eu.

– Uma moça filho? como ela era?

Bom, ela era alta, bem alta tinha cabelos negros e olhos claros, seu nome é Constance.

– Não pode ser.

O rei olhou para o general muito preocupado ao ouvir o nome de Constance.

– Depressa Sky faça contato o grande mago.

– vocês dois vão arrumar suas coisas partem logo de manhã.

– Mais como senhor? não estamos intendendo. para onde vamos?

– Sem discutir garotos rápido.

Sky pega os meninos pelo braço para arrumarem suas coisas.

Na bolsa improvisada feita de pele de porco. Sky coloca alguns mantimentos.

– Oque esta acontecendo Senhor sky.

Apavorado, Larry larga sua bolsa no chão e pede para que sky explique tudo oque estava acontecendo, o porque de tanta correria.

– Certo garotos.

Essa moça que você viu na floresta e que te ajudou, é a Rainha das bruxas, ela queria acabar com vocês.

Não á duvidas que ela estava por trás do ataque dos lobos.

Menino Larry você disse que foi chamado para dentro da floresta certo?

– Sim senhor.

– Tudo indica que a bruxa te enfeitiçou te atraiu para a floresta para dar fim em vocês.

– Mais ela parecia tão normal, doce.

É assim que ela faz meu jovem. perdemos muitos anões para seus rituais maléficos.

Com um assobio Sky chama o mensageiro da floresta.

Na porta da pequena cabana ouvia-se uma voz.

– Mandou chamar general.

Sky abre a porta e se depara com seu fiel amigo.

A lebre madeira. Madeira era seu nome uma especie de coelho, mas muito maior e com um chifre no meio de sua cabeça.

– Mandou me chamar meu senhor.

– Sim meu amigo, preciso que leve um recado para o grande mago.

– O grande mago? mais meu senhor á seculos que ele não recebe ninguém.

– Os tempos mudaram meu amigo. Rápido o recado deve ser entregue urgente.

– Disparado madeira sai ao seu destino.

Descansem, amanhã de manhã vocês partem para a grande montanha.

Sky deixa a cabana e pede mais uma vez para os jovens descansar.

– Descansem amanhã sera um longo dia.

Naquela noite, trombetas foram tocadas, e ouvidas por todos pequenos da floresta.

Um Anão passou por todas as cabanas gritando DUENDE.

OS DUENDES DAS TREVAS

Os Duendes, eles eram inimigos declarados dos anões Havia centenas deles, junto com as criaturas estava  o general do bando.

O general dos duendes, uma criatura vil e cruel, tinham olhos negros e um pequeno chifre que saia de sua cabeça e empunhava espada e um escudo, o general usava uma armadura feita de casca de arvore,e empunhava  duas adaga, uma em cada mão.

A muito tempo atrás os duendes eram o oposto do que são hoje, eles viviam na floresta junto com os anões, eram criaturas doces e gentis, mais tudo isso mudou depois que um duende se corrompeu por ganancia, o duende corrompido queria a floresta só pra ele, e convenceu todos da sua família.

Mais esta ideia não surgiu como passe de magica na cabeça da pobre criatura, a Bruxa que habitava a floresta fez um feitiço para que todo ser que cai-se sem vida nas terras da floresta, suas almas alimentaria seus poderes.

A bruxa convenceu o duende que aquela ideia era fantástica e a melhor.

E assim foi por anos, duendes sendo mortos por anões, e anões sendo mortos por duendes.

 

Mais os duendes nem sempre foram criaturas tão horrenda de aparência as criaturas possuíam os grandes olhos castanhos, e cabelos coloridos, e um corpo fofo e gordinho.

Os duendes se transformaram em criaturas vis, cruéis assassinavam por diversão, e muito deles seguem o grande dragão de escamas negras ERIDOR.

A batalha foi vencida pelo os anões, desde então as pequenas criaturas vivem em segurança na copa das mais altas arvores de evolas.

Voltemos a história.

Os duendes eram criaturas mais altas que os anões, de certa forma era uma vantagem.

mais este pequeno detalhe não fazia a menor diferença para os formidáveis guerreiros anões.

As criaturas estavam interessadas no que os anões estavam guardando em segurança.

Larry e Peter.

Do topo da arvore general Sky grita as criaturas.

– SAIAM DE NOSSAS TERRAS.

Respondem o general dos duendes.

– VIM APENAS CONVERSAR.

com uma voz meio reptiliana.

Os anões sabiam que os duendes não eram nada confiáveis.

General sky olhou para seu REI aguardando as ordens a serem seguidas.

– Oque faremos meu rei?

Rei telo coça sua barba,olha para seu imenso machado de dois gumes, e diz para seu general.

– Sabe sky, os tempos estão mudando, e vão mudar continuar a mudar, nosso futuro e permanência nessas terras dependera desses dois jovens.

O rei parecia saber mais oque demonstrava, o general tinha absoluta certeza que o rei escondia alguma coisa, mais preferia ficar em silencio.

Larry e Peter olham um para o outro, sem entender as palavras do REI.

O rei se levanta de seu trono e chama Sky e um grupo de anões.

O pequeno grupo segue em direção à gaiola para ir ao encontro dos Duendes.

O rei estava interessado sobre que tipo de assuntos eles queria tratar, mais o rei tinha certeza do que seria.

 

Rei telo faz um sinal para o general o acompanhe até os duendes.

Assim como Larry e Peter também.

Os meninos ficam sem intender a decisão do grande REI.

– Como quiser meu rei, mais não acha meio perigoso para os meninos.

O rei coça sua barba, olha para Larry e Peter e pergunta se os meninos quem ir.

– Tudo bem para nós senhor.

– Disse Larry sem Pensar muito no assunto, Peter como o irmão também concordou.

– Vamos descobrir oque aquelas criaturas querem mais já suspeito general.

O grupo atravessa a ponte entram na grande gaiola de madeira e pede para o resmungão descer.

– Como ordenar meu rei.

Resmungou o resmungão.

E mais uma vez a grande gaiola desce violentamente em direção ao solo.

Não muito distante da li, O general dos duendes estava aposto aguardando Sky, e o rei para tratar do assunto que o fez se deslocar até a floresta dos anões.

– Diga Criatura nojenta oque faz em meus domínios?

– Bom, senhor da floresta, vim buscar aqueles dois meninos humanos.

A criatura apontou seu dedo viscoso e seco para Larry e Peter.

– Hum, Entendo… Oque faz acreditar que iremos entrega-los?

– Rei telo, devo adverti-lo que a situação não esta nada favorável ao seu lado.

 

OUSA ME AMEAÇAR CRIATURA?

Rei telo bate o pomo de seu martelo no chão fazendo área onde todos estavam tremer.

Mas, o general duende não se intimidou.

– Ouça rei telo, entregue os meninos e ninguém precisa se machucar.

O general ficou um pouco incomodado com ousadia dos duendes, nunca um general dos duendes desafiou rei telo.

– Vejo apenas um grupo de duendes mal armados prestes a serem mortos por meus soldados.

Junto com rei telo havia um pequeno grupo de anões que o rei convocou antes de descer ate o solo. Eram 5 no total.

Os duendes estavam em 20 ou mais.

Mais os anões nunca foram de se intimidar com números ou tamanho.

 

– Mal armado? Não concordo…

Disse a criatura viscosa com um sorriso nojento.

Seus dentes eram podres mais muito pontiagudos

Em segundos surge atrás de umas arvores, e moitas um pequeno grupo de Lobos negros.

Os 5 Soldados do rei telo recuam um pouco, após ver os grandes lobos negros.

Os lobos eram fieis apenas á uma pessoa.

– Agora intendo oque esta acontecendo meu rei.

– Essas criaturas vieram a mando de Constance.

– Sim general, eu já suspeitava.

– Constance?

Falou o Pequeno Peter.

– Ei Larry esse não o nome daquela bruxa que o rei estava falando e que te atraiu para a floresta?

– Parecer ser ela sim meu irmão.

Vamos ouvir mais de perto.

Os garotos estavam afastados alguns metros de distancia de onde toda a conversa estava acontecendo.

Os Lobos eram criaturas assustadoras sua pelagem negra, e olhos vermelhos assustavam até o mais valente dos anões.

– Virou capacho da bruxa general?

Provocou Sky ao general.

– Chega de papo, entreguem de uma vez esses humanos.

– Já demos nossa resposta general.

O general duendes mostra seus dentes gotejando um liquido viscoso que saia de sua boca.

 

– Que tal um acordo general?

– Que tipo de acordo Rei telo.

– Eu te desafio para um duelo, seu vencer pode levar os garotos.

– Mais meu rei?!

– Confie em mim General.

– Eu aceito.

Respondeu com sua voz rouca e estranha.

– Em guarda rei telo, hoje levarei sua cabeça para meu mestre.

– Acalme-se general. Não serei eu que irei lutar com você.

O ser viscoso olha para o seu bando sem intender.

– Quem ira lutar comigo? Rei telo.

 

O rei olhou para Larry e pediu para que ele se aproximar.

– Isso é uma piada?

Falou em gargalhadas o duende, e todos do grupo riram junto com ele.

– Não é.

– O que estava fazendo rei? Eu não sei lutar.

– Você sabe garoto confie em mim. Acabe com ele.

– Ei Larry não faça isso, gritou Peter para o irmão.

 

– PODE VIM GAROTO.

Em uma das mãos o duende empunha sua espada, e na outra segura um escudo improvisado de madeira maciça.

Assim como os anões os duendes utilizavam muitos recursos da floresta.

– Tome garoto pegue.

O General Sky lança uma pequena espada para Larry.

– Sabe oque esta fazendo meu rei? Desculpa insistir mais os duendes luta sujo.

– Fique calmo general, o garoto vai se sair bem.

– Como tem tanta certeza?

– Assista e vera.

Em meio a um chão húmido em envolto de arvores, Larry e o General dão inicio a uma batalha que será reveladora.

– Em guarda criança.

Larry meio desajeitado desfere alguns golpes contra o duende, mais a criatura desvia com facilidade de todos.

– O duende empurra o garoto com seu escudo e Larry cai no chão.

– Levanta irmão.

Gritou Peter.

– Vamos garoto levanta.

– Larry se levanta e limpa sua roupa suja de terra.

– O general dos duendes corre ao encontro do garoto a gritos e desfere um golpe vertical Contra o garoto, mais Larry consegue desvia por pouco.

– Larry se abaixa e da uma rasteira no duende.

– Muito bem Menino Larry.

Gritou o general muito eufórico.

 

– AAAAARR CHEGA DE BRINCADEIRAS.

O duende estava começando a se irritar com o garoto.

Tem razão chega.

Larry joga sua espada no chão. Fecha seus olhos, e ao abri-los um brilho intenso azul se expande iluminando o campo de batalha.

 

– Safira? Você pode me ouvir?

Pequenos brilhos começam a surgir entre as mãos do garoto, surgira Safira a grande espada vermelha.

 

 

 

 

CONTINUA…

O TEXTO ABAIXO NÃO ESTA CORRETO,E ATUALIZADO.

 

 

 

Apos 3 dias desacordado Larry acorda  na esperança de que tudo foi um sonho, um terrível e

assustador pesadelo.

Mais infelizmente não era.

Enquanto isso rei Telo reuni-a o conselho para decidir o destino dos meninos.

– Caros amigos estamos aqui hoje reunidos para decidir o destino de nossos jovens guerreiros

– Mais uma coisa ficou bem clara para todos nós, esses garotos não são simples humanos.

Eles tem o poder que vem do dragão.

Mais eles ainda não sabem disso.

– Majestade, com todo respeito é o dever deles saber quem são.

– Por hora não.

– Mais se eles não conseguirem ter o controle por completo de seus poderes, todos nos

estamos perdidos, Evolas pode cair ainda mais em desgraça.

todos os magos do conselho entram em discussão isolada, temendo o fim.

– Silêncio senhores.

– Sem alarme.

– RAKIN, havia me alertado sobre tudo isso quando analisou os dois jovens.

– Temos que ter calma.

– E oque devemos fazer meu rei? Perguntou Sky com sua face de preocupação

– Vamos manda-los para o MESTRE.

– O metre?

– Mais ele não recebe os anões a milênios majestade.

– Esta certo sky

– Sera um pedido meu, ele não poderá recusar.

– Os meninos iram treinar com o mestre para terem auto controle, sendo assim conseguiram

controlar seus poderes.

– Meu rei, peço o poder da palavra?

– Sim.

Um dos 3 magos resolve falar.

– Majestade, a um milênio que o grande mestre não aceita treina mais ninguém, nem ao

menos um anão.

– Porque ele ajudaria esses humanos?

– Esses humanos podem destruí-lo como se fosse um graveto de galho seco mago.

– Tenha mais respeito quando se referir a eles.

Palavras ditas por general sky.

– Esta decidido eles vão treinar com o grande mestre.

– Sky você os acompanhara ate os limites da floresta, depois deixe-os por conta própria.

– Daremos o mapa onde fica a localização exata do mestre.

– Sim meu rei.

O general vai ate os aposentos dos garotos para ver como eles estavam.

Larry já estava de pé se arrumando e acomodando suas espada na baioneta.

– Garoto você iram fazer uma viagem, sabem que não são simples humanos, sei que vieram

aqui para procurar seu pai.

Mais algo de estrema importância precisa ser feito.

– Vocês tem poderes, a magia habita dentro de cada um de vocês, precisam domina-la.

– Além daquelas montanhas mora um anão, um anão místico em evolas conhecido por treinar

os melhores guerreiros.

– Chamamos de o grande mestre.

– Faremos oque pede Sky, ainda vamos encontrar nosso pai, Larry tem alguma coisa dentro

dele, e parecia que em mim também.

Iremos treinar com seu mestre.

– Sim! Termine de se arrumar não temos muito tempo…

– É fundamental que vocês dois aprendam a controlar seus poderes.

Rei telo vai a cabana dos pequenos guerreiros.

– Crianças não temos muito tempo.

Vocês dois já devem saber o motivo da minha presença.

Agora pouco estávamos em reunião discutindo seu futuro e de Peter.

Forças conspiram contra evolas rapazes.

– E cabe a nós detê-las.

Este mapa, os levara até o mestre um grande guerreiro que nós treina a milênios.

Peter e você ira ao encontro dele.

– Quando chegarem lá iram dizer que estão aos meus cuidados.

– Esta é a carta que devem entregar a ele.

Mas não leiam até sua chegada entenderam?

Os garotos acenam com a cabeça.

– sky traga mantimentos para a viagem, armaduras e escudos, e uma espada.

– Sim meu rei.

Então com muita coragem e confiança, Larry e Peter partem ao encontro do desconhecido.

Já nós limites de Evolas Larry e Peter se despedem de sky.

sky deixa com os garotos 2 espadas  de aço, uma para cada um!

Um escudo reforçado, e mantimentos para viagens.

– Sky quando você foi a cabana tinha me dito sobre nossos poderes, você sabe oque realmente

somos não é verdade?

– Sim meus jovens todos anões já sabem de tal poder, é de extrema importância que vocês

aprendem a domina-los.

– Um dia se tornaram guerreiros formidáveis, serão imbatíveis.

– Hoje em Evolas a maioria de nossos guerreiros lendários foi destruída pelo dragão antigo.

– Dragão antigo?

– Sim.

– É um dragão que habita evolas desde os tempos antigos, o único que conseguiu feri-lo foi o

grande mestre.

– O dragão antigo tem muitos seguidores, inclusive guerreiros que foram corrompidos por  sua

maldade.

– Agora vocês precisam ir.

Sky põem a mão sobre a cabeça dos dois e faz uma oração de proteção.

Então os bravos guerreiros seguem para a montanha mais alta de Evolas.

Mais adiante havia uma ponte enorme que cruzava o vale até o outro lado.

A ponte era feita de cordas e pedaço enorme de tronco de arvores, mais com uma aparência

decadente, será que era seguro passar por ali?

– Larry, você acha seguro passar por aqui?

– parece não ter outro caminho Peter temos que seguir!

– Parece bem alto você não acha?

– você primeiro.

Larry por ser o mais velho vai na frente, para ver se é realmente seguro.

Próximo ao fim da ponte Larry chama Peter dizendo que é seguro.

– Vem Peter esta tudo bem.

Peter avança pedaço por pedaço, mais oque eles não esperavam é que no final da ponte,

Havia um Ogro da floresta, os ogros da floresta são agressivos na maioria das vezes sempre

estão empunhando uma arma letal, este estava com uma clava de madeira feita com um

tronco de arvore. Sua pele era espeça de uma cor cinza, e media 3 metros de altura.

Essas criaturas costuma andar olhando para o chão, mais quando alguma coisa chama sua

atenção logo entram em alerta.

O ogro ainda não havia notado a presença de Larry e Peter, Larry quando vê a criatura fica em

silêncio e faz um sinal para que Peter fique em silêncio na ponte ventava muito o ogro estava

quase colocando seus enormes, e gigantescos pés na ponte.

Mais a ponte era forte aguentava o peso do ogro.

Mais Peter da um espirro e imediatamente Larry grita;

– CORRE-CORRE.

– os dois saem disparado de onde vieram o ogro por sua vez sai atrás com sua clava enorme

levantada acima da cabeça.

Peter consegue se esconder atrás de uma arvores, e Larry vem atrás correndo empunhando a

espada.

Mais o ogro foi mais rápido ele agarra Larry pela cintura o suspende no ar segurando- o bem

forte.

– Me larga sua criatura nojenta.

E da um chute no nariz do ogro fazendo o rir.

Apesar de serem grandes, os ogros são bobos, quando não estavam destroçando uma carcaça

estão brincando.

Mais este ogro parecia ser bem jovem.

Sem pensar muito o ogro leva Larry.

Peter vê toda cena de traz da arvore e resolve segui-lo mais em silêncio e com a mãe no nariz,

não porque o ogro fedia, ele fedia mais era para não espirrar novamente.

Apos um tempo de caminhada, o ogro chega a sua caverna.

Uma caverna fria úmida, escura e fedia muito por causa das carcaças que ali estavam.

Peter o observa do lado de fora da caverna, e Larry continua a insultar  a criatura.

– me põem no chão seu monte de estrume,

– me coloca no chão

– quando eu me soltar vou acabar com você

O ogro então decidi por Larry no chão, mais não porque ele havia pedido

E sim porque o ogro estava com fome.

Larry é amarrado por um pequeno pedaço de corda em volta de suas pernas impedindo-o de

correr.

Em muito silêncio Peter entra na caverna, e faz um sinal  para Larry,

Peter se esconde agachado atrás de uma carcaça de servo.

O ogro comia desesperadamente um  pedaço enorme de carne, e ao olhar para Larry disse.

– DANÇA.

– Oque?

– Dança

As palavras saem com muita dificuldade da boca enorme do ogro.

Larry se recusa a fazer oque o ogro pedi, mais o ogro insiste empurrando Larry no chão com as

pontas do dedo.

– ta legal, vou dançar para você.

Peter fica atrás da carcaça morrendo de vontade de dar risadas.

O ogro da risada, bate palmas e continua comendo.

Não demora muito  a criatura começa a se sentir sonolenta.

E  pega no sono.

Peter  vai até Larry e o desamarra.

Eles resolvem sair da caverna com cuidado sem acordar a o ogro.

Uma pedra cai do topo da caverna caindo direto na bica de água fazendo um pequeno barulho.

Larry e Peter respiram fundo tampando o ar,e vê que o ogro não acordou.

– Você foi muito corajoso Peter.

– Você também não foi mau.

– vamos precisamos chegar do outro lado da ponte já esta escurecendo.

– Certo vamos.

Então Larry e Peter partem em direção a grande ponte.

Finalmente já do outro lado, os garotos respiram aliviados por conseguirem passar a ponte

sem problemas.

Ainda na floresta os garotos passam por um lago e começa a beber água, Peter pega uma

pequena bolsa de água viera acabar e a enche na parte mais rasa.

Larry resolve jogar um pouco de água em seu rosto e se banhar.

No meio do lago Peter ouviu um barulho de borbulha, o garoto estranha e começa a olhar

atentamente aquelas bolhas que começam a se aproximar cada vez mais.

Larry também nota a aproximação e pede para que Peter saia de perto da água.

– Calma Larry deve ser um peixe,

Quando as borbulhas já próximas de Peter elas começam a parar.

– viu só era só um peixinho

– Larry respira como sinal de alívio.

Quando um olho salta do lago, não um olho qualquer mais um olho de um crocodilo.

Quando ele salta com a cabeça para fora já prestes a abocanhar Peter no meio de seu corpo,

um vulto passa diante Larry e salva o garoto de virar jantar de crocodilo.

Peter tenta vê seu herói mais desiste da ideia volta a por a cabeça novamente no chão

E fecha seus olhos, seu salvador era um tigre branco.

Larry então se lembra de que era a mesma criatura que atacou ele perto da caverna do

duende.

– Para traz!

– fica calmo garoto, não quero lutar contra você.

– vo vo vo você fala?

– Peter ele fala? Disse Larry com uma risada e de espanto ao mesmo tempo.

– Por que salvou meu irmão?

– Tive vigiando vocês desde sua entrada em evolas, e sei para onde está indo.

– Mais como? Nós nunca notamos você.

– Subestima minhas habilidades de caça garoto? Posso ficar oculto por muito tempo.

– Você tem nome? Quem te mandou? Foi o rei telo? Sky?

– São muitas perguntas.

Então Peter se levanta e vai correndo para o lado do irmão.

– Me chamo zhao.

Zhao  era um tigre branco enorme em sua postura normal era cinco vezes mais alto que Larry.

Sua voz era de um tom cortante, apenas sua fala era de dar medo, qualquer duende de sã

consciência sairia desesperado temendo a morte!

Mais vamos à trama.

– Não foi rei telo que me enviou, muito menos sky.

– Então quem?

– Maicon.

– Meu Pai? Onde eles esta?

– Vamos até ele?

– Não garoto, ele me envio ate aqui para escolta-lo até a grande montanha.

– Não se esqueça de seus objetivos, vocês precisam ter  melhor controle de seus poderes.

– Quando conseguirem seu pai ira de encontro a vocês para explicar tudo.

– Ele conta com vocês.

Zhao sugere para que os meninos levantem um acampamento ali próximo, já que a noite

estava próxima, as viagens a Evolas nos dias claros já é perigoso, e  a noite o perigo dobra.

É anoite que a grande maioria das Bruxas sai para coletar ingredientes para seus feitiços.

Falando em bruxas, muito em breve uma ira visitar nossos guerreiros.

Vamos vê o desenrolar dessa história.

Já com o acampamento pronto, Larry e Peter faz uma fogueira para se aquecer, Zhao não fica

longe dos garotos, mesmo ele sendo amigo Peter tinha muito medo afinal era um tigre de

quase 2 metros em postura normal.

Até eu fico com medo ao descrever as características da fera.

– zhao posso te fazer uma pergunta?

– Faça.

– Como é nosso pai?

– Ah, sim, ele é um guerreiro formidável muitas criaturas em evolas o temem.

– E como ele é? Digo seu rosto.

– Eu e Larry lembramos muito pouco dele.

– Hum, vejamos ele é muito parecidos com vocês, olhos  azuis, cabelos ruivos  longos que

alcançam suas pernas, é forte muito forte, e sempre esta empunhando sua espada encantada.

– uauuu, uma espada encantada, isso não é legal Larry?

Larry ainda era chateado com o pai por tê-lo abandonado, e deixado cuidar de seu irmão e sua

mãe.

– Querem aprender  mais sobre seus poderes garotos?

Perguntou zhao para os jovens.

– Queremos.

Disse Peter eufórico.

– Muito bem, Peter coloque suas mãos no fogo?

– No fogo? Mais vou me queimar.

– Quer aprender sobre seus poderes?

– Sim! Eu quero.

– Faça oque estou mandando.

– Ta legal.

Peter então coloca suas mãos no fogo e nada acontece nenhuma queimadura visível,

Ao retirar suas mãos do fogo ela parecia intacta.

– eu não me queimei.

– Larry quer tentar?

– Quero umhum.

Larry também coloca suas mãos no fogo e nada acontece.

– Como isso é possível zhao?

– o poder de vocês vem da alma do dragão que habita dentro de vocês;

– Alma do dragão? Perguntou Peter e Larry achando a história louca de mais.

– Sim, a alma do dragão habita dentro de vocês. Seu pai também possui tal fonte de poder.

– Peter coloque sua mão nas chamas novamente.

Então Peter as coloca e zhao pede para que  sinta as chamas passando por todo seu corpo.

– E quando sentir que toda a aura de seu corpo estiver em chamas, as expulsem de uma só vez.

Peter tenta uma, tenta duas, tenta, três vezes, tenta quatro.

Mais não consegue.

– Peter tente lembrar oque você sentiu quando lançou aquelas chamas no duende,

– Oque? Você estava  na batalha?

– Sim, meu garoto.

– Posso ficar oculto por muito tempo lembra?

– Você também Larry tente pensar oque você sentiu na batalha quando liquidou o duende.

– Eu não quero ter aqueles pensamentos de novo, foi horrível.

– Chega.

Então Larry se levanta e sai de perto do acampamento para espairecer.

– Peter continua tentando, quando der repente uma chama imensa sai de suas mãos

adentrando floresta adentro clareando uma boa parte do ambiente.

Zhao, e Larry  ficam felizes  com o resultado apresentado pelo o garoto, e da os parabéns.

.Logo à frente em uma parte já escura da floresta um barulho de passos chama a atenção de

Larry, ele olha para zhao e Peter e vê os dois conversando e decidir ir mais adiante.

Ele passa por arbustos e vê uma linda mulher.

– Peter qual o problema de seu irmão Larry?

– ah, hum… Nosso pai deixou a gente muito cedo, Larry teve que ficar cuidando de min, e da

mamãe, não que ela possa se cuidar sozinha mais Larry se sentia responsável por ser o mais

velho, acho que de todos nós Larry é o que sente mais falta de papai.

Explicou Peter para  zhao.

– Olá?

– Moça? Oque faz sozinha no meio da floresta?

Perguntou Larry para a linda mulher.

– Olá querido, estou procurando ervas para curas;

– E você oque faz sozinho aqui? Está perdido? Quem sabe eu não possa te ajudar.

– Não, estou com meu irmão logo ali a atrás.

– Que ótimo.

A jovem moça tinha uma estatura média, cabelos negros como a noite.

E da pele morena.

Era realmente linda.

– Nós estamos reunidos logo ali atrás se quiser pode se juntar a nós.

– Seria um prazer meu Doce.

Respondeu a jovem linda com um sorriso terno no rosto.

Larry aparece com a moça no acampamento, e a apresenta para Peter.

– Peter esta é a, ah, como é seu nome mesmo?

– Me chama Barbara queridos.

– Ah, sim que nome lindo, como eu havia dizendo, este é Peter.

– Olá Peter.

– Peter onde esta Zhao?

– Não sei estava aqui agora há pouco.

Então uma voz por de traz de Barbara é Dita, uma voz de arrepiar todos os pelos do corpo,

E paralisar por instantes.

Era zhao.

 

– Eles estão sobre minha proteção BRUXA.

– Quando Barbara olha para traz da de cara com um tigre branco enorme, a face de Barbara

encostava-se ao peito de zhao.

Zhao era aterrorizante seus olhos eram vermelhos, a luz da noite o deixava ainda mais

assustador.

Zhao da um urro tão grande que faz a os cabelos da bruxa ir todos para trás, fazendo seu corpo

todo tremer as erva que estavam em suas mãos cai no chão de tanto desespero.

– NÃOOO espere, eu só estava conhecendo os garotos não é querido?

– Porque diz que ela é uma bruxa zhao?

– Ela é linda.

– Linda?

– Olhe direito garoto.

Revele sua forma bruxa, ou te faço de meu café da manhã.

Então a bruxa mostra sua verdadeira face, uma mulher de aspecto mumificado, careca, e com

dentes faltando em sua boca, em seu rosto havia rugas, e varias pequenas bolas que saltavam

como borbulha.

Ao ver a mulher, Peter vomita oque tinha ingerido minutos antes.

Então Zhao diz uma só palavra.

– Saia bruxa.

A Horrível criatura da noite faz um movimento com os braços, e uma fumaça a envolve que a

faz desaparecer.

– Oque foi fazer longe do acampamento garoto?

– Eu não sei, ouvi um barulho e me deparei com esta moça.

– Não se separe mais do grupo estamos intendidos? ( Rugidos )

Larry faz um sinal de positivo com a cabeça.

– Agora venha vamos continuar de onde paramos.

– Ei zhao desculpa. Eu estava meio chateado, ainda me dói muito falar sobre meu Pai.

– Entendo garoto, não se preocupe.

– Peter formidável o modo que dominou as chama.

– Larry você possui uma espada encantada assim como seu pai.

– Serio? Mais onde ela esta?

– dentro de você.

– dentro de mim?

– Sim, os poderes veem do nosso pensamento Larry.

– Você se lembra do ataque da Bruxa Constance?

– Constance? Mais eu achei que foi um sonho, um pesadelo.

– Você também estava lá?

– De certa forma, nós vigiamos vocês dois desde que nasceram o Futuro de evolas depende

unicamente de vocês dois.

– Mais isso é um pesadelo, nós não temos controle dos poderes, Peter não sabe usar a espada,

e muito menos controlar seu poder.

– Como podemos salvas evolas?

– Essa resposta esta dentro de você Larry controle seu poder.

– Agora vamos que sentimento teve quando ela atacou Peter?

– Eu não sei medo, Raiva, eu só sei que queria protege-lo.

– Essa é a resposta.

– Proteção!

– Imagine que você é o protetor de seu irmão.

– Certo tudo bem.

Larry olha para suas mãos, fecha os olhos e começa a imaginar o sentimento que teve na

aquele dia.

Então uma energia, uma fumaça da cor vermelha envolve as mãos de Larry, e  uma espada de

uma mão surge.

Era uma espada incrível, em seu cabo havia um rosto de dragão com detalhes vermelhos em

toda sua extensão.

– Muito bom Larry.

– Qual seu nome?

– Qual o meu?

– Não meu jovem o da espada.

– Ela tem um nome?

– Sim, cada vez que pensar em seu nome ela surgira para te acudir nas horas mais difíceis.

– Como eu descubro o nome dela?

– Os pensamentos Larry, os pensamentos.

– Olhe para ela, ponha sua lâmina estendida para frente que ela dirá seu nome.

– Como é que sabe de tudo isso zhao?

– Sem perguntas garoto, faça (Rugido)

Larry não pensa duas vezes aqueles chiados que saiam de zhao assustava qualquer um.

Então Larry faz o que zhao pede,

– Espada revela seu nome.

– Jovem cavaleiro, sempre nos momentos de necessidades e quando a batalha tiver difícil.

Eu, zafira irei protegê-lo.

– Zafira.

– Zafira?

– Que nome mais estranho para uma espada, ela é uma mulher?

– Peter já vem você com suas perguntas idiotas.

– Ei.

– Não vai me defender zhao?

– fiquem calmos garotos.

– Por hoje acabamos.

– Amanhã temos que seguir viagem.

– Vocês já tiveram muita aventura, ate uma bruxa veio nós visitar.

– e você a botou para correr, zhao você é de mais.

Disse Peter para o Tigre.

– Boa noite zhao.

– Boa noite Peter.

– Boa noite Larry,

– Boa noite zhao.

Então o tigre boceja, e fecha seus olhos.

Já no amanhecer nossos jovens acordam para continuar com sua jornada afinal faltava alguns

dias até chegar a grande montanha.

Zhao  como de seu costume, havia saído para a caça de seu café da manhã não demora muito

zhao volta com a presa em sua boca, era uma bela gazela fora de sua boca à perna do animal

estava à mostra.

Larry e Peter ainda tinham alguns mantimentos que sky havia lhe dado.

– Peter veja quanto de comida nós ainda temos.

– Não temos muito Larry, da apenas para mais 1 dia.

– Caçam sua própria comida meninos.

Hoje vou lhes ensinar uma lição extremamente importante.

– Venham comigo, peguem suas coisas.

Então Larry e Peter segue zhao para um campo com muito espaço sem a interferência de

árvores, zhao propõem que os garotos evitem seus ataques.

– Mais zhao é impossível evitar seus ataques, você é um tigre.

– Sim sou um tigre, mais vocês tem o sangue do dragão correndo em suas veias, haja como tal

Larry.

– Tudo bem zhao.

– Muito bem Prestem atenção, neste campo irei ficar oculto, e vocês terão que usar seus

sentidos para me localizar.

– O odor, o vento, os passos.

– Ouçam com atenção que talvez vocês tenham êxito.

Então como num piscar de olhos zhao já não estava com os garotos

– Zhao?

– Ei zhao?

– vamos Peter concentre-se, vamos encontra-lo.

Então Larry e Peter começam uma busca frenética na tentativa de encontrar o tigre.

Larry é lançado no chão, e Peter fica olhando o irmão ali estendido no chão como um bobo.

Mas Peter também cai.

– Concentrem-se meninos.

– Concentrem-se.

Os irmãos se levantam e fazem uma nova tentativa, mais são jogados no chão de novo.

Outra tentativa, e Larry começa seguir os conselhos de Zhao.

– Sentir o cheiro, ouvir os passos, o vento.

Larry permaneceu com os olhos fechados por alguns instantes.

no estante em que tigre corre feito um raio em sua direção Larry, o garoto  desvia do ataque. A

velocidade do tigre o fez tropeçar e sai tombando no chão,a queda tirou algumas flores e

arvores que estavam crescendo no chão.

Peter sai correndo pra acudir o amigo enquanto Larry grita de alegria debochando do tigre.

– cadê o  tigrinho, cadê o tigrinho zhao?  Você não é de nada zhao.

Zhao se levanta vai até o garoto.

– Foi um belo movimento garoto.

– Parabéns

– Tive instruções do melhor, disse Larry para zhao.

– Muito bem.

– Peter continuou com você.

– ee,eu,eu mais.

– Vamos Peter você consegue é só se concentrar.

Então como em piscar de olhos zhao novamente fica oculto.

– Larry se afasta deixando o irmão para fazer a tarefa.

– Uma, duas, três, quatro, cinco vezes Peter é lançado no chão.

– Vamos Peter se concentre no barulho, no vento.

Então Peter permanece em silêncio com foco.

E lá vem zhao novamente, e com muita velocidade ao encontro do garoto.

Com um movimento rápido Peter lança seu corpo para traz dando um mortal que passar acima

do corpo de zhao.

Deixando o tigre para traz.

– uau, isso Peter Bravo, uruuu… Assim que se faz.

O irmão comemora a vitória de Peter.

– Zhao por sua vez, parou com a corrida e deu os agradecimentos a Peter.

– formidável garoto.

– Como se sente?

– Me sinto poderoso.

– Assim que se fala Peter, assim que se fala.

Agora vamos garotos temos que chegar a grande montanha.

Os jovens mais uma vez pegam seus pertences e partem de viagem rumo a  montanha.

Zhao segue na frente dos meninos, para a proteção dos jovens.

Mais a frente um grupo de leão da montanha fica a espreita.

– Vocês estão em nossos domínios.

– Não queremos causar confusão, já estamos de partida.

Disse zhao para o grupo.

Era 8 Leões, que costumava caçar em grupo.

– Você esta caçando na nossa área, disse o leão mais velho.

– Não estou caçando meu amigo, estamos apenas de passagem.

O grupo não se intimida com o tamanho de zhao, afinal eles estavam em maior número.

– Não?

– E estes dois humanos quem são? Sua presa para mais tarde?

– Não, sou o protetor deles.

– Protetor?

– Você é engraçado amigo.

– Não estou contando piadas ( rugidos )

Um dos leões do grupo solta um rugido.

– Não urre para mim leão! Você não vai gostar da resposta.

– O leão mais novo do grupo engole as palavras de zhao a seco.

– Larry e Peter sacam suas espadas lentamente da bainha, esperando o ataque dos leões.

– Já disse que não quero confusão, deixem nos passar.

– Deixamos com uma condição tigre.

– Que deixe seu jantar para nós.

– Larry e Peter seguram suas espadas aguardando a briga que pelo jeito iria acontecer.

– Tenho uma ideia melhor, disse zhao para o grupo.

Zhao solta um rugido feroz, e emenda com uma tapa que lança um dos leões metros de

distância.

O grupo de leões ataca sem pestanejar.

Zhao abate um por um, um ou outro ele lançava em sua boca.

Larry e Peter não precisaram interferir, já que zhao era muito poderoso, eles só ficaram

observando a matança com a boca aberta, temendo até o próprio zhao.

Com mais um rugido zhao varre uma parte do campo, finalizando o ultimo leão.

Pelo menos era oque ele pensava, por traz de zhao surge um leão, que estava oculto, E ataca

uma das patas de zhao, o tigre soltar um rugido de dor, Então Peter vai para cima do leão e

corta uma parte de sua calda. O leão solta zhao e vai para cima de Peter, forçando Larry a

conjurar sua espada  Zafira,

– Zafira apareça preciso de você.

Então uma luz envolve o braço de Larry surgindo à espada zafira.

Para cima do leão, Larry faz um corte na fera, que a primeira vista parecia não ter acertado.

– Este foi seu melhor golpe garoto?

– Sim foi meu melhor golpe leão, você esta acabado.

– Uma risca é traçada no corpo do leão, causando uma fenda que ligava a cabeça até sua

barriga.

O leão solta um último rugido, e cai partido no chão.

– Seu Pai levou muito tempo para invocar a sua espada garoto.

– Você foi impressionante, seu pai ficaria orgulho, essas foram à frase de zhao.

– É ele ficaria, Larry da um sorriso para zhao, fazendo com que a amizade entre eles ficasse

cada vez mais forte.

Peter cumprimenta o irmão, e pede desculpas por ter zombado do nome de sua espada.

– Tudo bem Peter, ela também zombou de você.

– Eiii!

Zhao da risada dos garotos, mais solta um sinal de dor em seguida.

– Esta tudo bem zhao? Ele te pegou de jeito.

– é pegou. Estou bem garoto.

Foram muitos dias de caminhada, nossos heróis estavam exaustos.

Zhao avista a grande montanha.

– Vejam garotos, a grande montanha.

– Agora sei por que a chamam de grande montanha.

– Como vamos chegar  até o topo zhao?

A partir daqui teremos que seguir aquela trilha, ela da acesso onde habita o grande mestre.

– Vamos garotos sem perda de tempo.

– Deixe agente descansar um pouco zhao.

– Ei Zhao Peter, e eu estamos muito cansados.

– Ta certa só um minuto.

Então após algumas horas subindo a grande montanha, Larry, Peter, e Zhao.

Conseguem finalmente chegar ao topo, vitoriosos, mais os garotos não conseguiam nem

respirar de tanto cansaço.

No topo havia uma pequena cabana de forma humilde, já do lado de fora havia uma fogueira

que há tempos não era acesa. A pequena cabana parecia abandonada.

– Ei zhao parece não haver ninguém, tem certeza que o grande mestre ainda esta por aqui?

Perguntou Larry para zhao.

– Sim, Larry logo vocês iram conhece-lo

Alguma coisa chama a atenção de zhao, ele olha para o céu, mais nada encontra, seus sentidos

dizem que alguma coisa esta por perto.

– Garotos fiquem perto de mim.

– Mais por quê?

– Sem perguntas.

Zhao olha mais uma vez para o céu, parecendo procurar algo.

– Esta vendo alguma coisa zhao?

– Sim.

– O que é?

– Ainda não sei!

– CORRAM ENTREM NA CABANA RÁPIDA!

– Os garotos sem intender o que estava acontecendo fizeram o que o tigre pediu.

Já muito perto da cabana Larry ouve um rugido.

Mais não era de zhao, era ainda mais assustador.

Larry olha para traz e vê um enorme dragão com escamas vermelhas como o sol o brilho

chegava a ofuscar os olhos.

A imagem fez com que Larry cai-se, mais Peter logo o ajuda a se levantar.

Os dois garotos não conseguem entrar na cabana, impressionados com a imagem daquele

Dragão!

Zhao parece estar falando algo para a fera.

Larry, e  Peter ficam sem intender, já que as asas da besta fazia um vento que mal deixava

nossos heróis ficar de pé.

– Como prometido mi Lord, trouxe os garotos.

– Cumpra com a sua palavra!

– Seu tolo achava mesmo que eu iria cumprir o trato?

-Nunca confie em um dragão.

A voz do dragão suava como uma tempestade, Larry e Peter conseguem ouvir a voz do mostro.

Larry olha para Peter a voz do dragão penetra dentro de suas almas.

– Vo vo você prometeu?

– A devolva para mim, não posso viver sem ela.

– Vamos cumpra com a sua palavra.

Eu fiz tudo oque me pediu tudo!

– Aqui estão os garotos.

– Esses são os salvadores de evolas?

– É uma brincadeira tigre?

– Não mi Lord, esses são Larry e Peter.

– Herdeiro de você sabe quem!

– Os filhos de Maicon.

– Maicon, aquele humano desprezível, esta acabando com meus lacaios.

– Esses meninos são os filhos dele mi Lord.

– Eu já sabia tigre, por isso estou aqui.

– TRAIDORRRR!

-Vocês não intendem garotos, desculpa!

– Desculpem meninos ele tem uma coisa que me pertence.

– Eu não tinha escolha.

– Sua recompensa esta aqui tigre, você foi muito útil.

Então com um movimento o dragão lança zhao metros de distância fazendo seu corpo bater

com violência em uma rocha.

Peter tenta correr para ajudar, mais Larry segura seu braço.

– Peter ele é muito poderoso.

O dragão se aproxima de Lary e Peter e os fareja.

– Olá crianças me chamo Eridor, senhor de evolas.

– Senhor?  Evolas não tem dono, é uma terra livre.

– Sábias palavras meu jovem mais em pratica não é assim que as coisas funcionam.

– Suas próximas palavras devem sem com mais cautela, garoto Peter.

– Não tenho medo de você.

– oh, é mesmo?

Eridor urra com tanta ferocidade que o vento que sai de suas boca  demoli a pequena cabana!

Larry  estava tão apavorado, que mal conseguia se manter em pé.

Então uma explosão acontece próximo onde zhao havia caído.

O dragão olha para traz, e vê um homem que aparentava ter muitos anos de vida, cabelos já

brancos, barba na altura do peito, mais de porte bem musculoso.

O homem olha e vê o corpo de zhao no chão, mais nada faz com toda calma do mundo, pega o

corpo do tigre e o  coloca ao lado de uma árvore que ali estava a milênios.

– O que quer aqui velho?

– Este é meu lar, Eridor.

– Aqui você não é bem-vindo

O velho parecia não se intimidar com o dragão!

– Este é meu reino velho, vou onde quiser, tome cuidado com suas palavras

Elas podem fazer com que seu tempo neste mundo acabe.

– Não tenho medo de você velho amigo!

– Se não sair, eu mesmo o expulso com  minhas próprias mãos.

o velho era o grande mestre, mais o próprio dragão não o temia!

Eridor, era ruim, sanguinário, nunca fugia de uma batalha, O único dragão que sobrou em

Evolas, isso o tornava ainda mais ameaçador, o reino de evolas estava sendo ameaçado a

Séculos pela a criatura.

Mais o grande mestre, era muito poderoso, treinou os melhores guerreiros ate mesmo Eridor,

mais este fato vou contar mais adiante da história.

Sua figura era respeitada por todos.

– Não se entrometa em meus assuntos velho.

– vim buscar esses meninos.

– Eles não vão com você.

– Esta me desafiando?

Perguntou Eridor para o mestre.

Com um olhar terno o mestre olha para Zhao e vê que o amigo ainda respira!

Porque atacou o tigre?

– Ele já não é mais útil.

– O que você fez zhao?

Falou o grande mestre para o tigre que ali, estava completamente imoveu!

– Deixem me levar os garotos e talvez eu o deixe viver velho.

– Não eles agora estão sobre a minha proteção.

O mestre fez um movimento com seus pés, e ali estava ao lado de Larry e Peter.

– Acha que pode me impressionar?

– Sou Eridor conquistador de Evolas, este é meu reino, minha terra!

– Esta me ouvindo?

O dragão parecia muito irritado, sua  voz fez com que o solo se racha-se.

E então Eridor solta um Rugido, e raios começam a cair do céu como se fossem gotas de chuva.

Larry e Peter, Abriguem-se!

– Eu ficarei bem meninos, só não posso dizer o mesmo de Eridor.

Então o Mestre fica cara- a – cara com  o dragão!

A Grande Batalha esta para começar.

 

A História de Eridor

 

Há muito tempo atrás Eridor, nem sempre foi um dragão, ele era um guerreiro formidável,

E respeitado em evolas. Que lutava contra as forças do mau!

Mais a fome por mais, e mais poder o consumia, neste mesmo tempo, Eridor ouviu falar que se

um guerreiro consegue-se matar um dragão e beber seu sangue, conseguiria  o dom da

imortalidade e poderes inimaginável.

Mais era apenas uma lenda.

Certo dia, Eridor estava a caça de uma bruxa chamada Constance, Constance já estava

derrotada pedindo a misericórdia do guerreiro.

– Eu posso te dar aquilo que procura.

– Não fale comigo bruxa, seu fim esta próximo.

– Não espere, posso lhe ser útil, sei oque quer o sangue de um dragão.

– Oque você pode saber sobre tal lenda?

– Não é uma lenda, sei onde o dragão místico vive.

– místico? Onde ele vive?

– Dizem que quem bebe seu sangue terá a imortalidade e poderes jamais vistos.

– Disso eu sei.

– Você quer a localização?

– de me.

– Poupe minha vida, que dou o mapa.

Eridor, guarda sua espada e baixa a guarda.

Mais antes de ir, a bruxa lhe da um aviso,

– Cuidado guerreiro, coisas ruim estão por vim, sua  fome pelo o poder pode causar sua

destruição.

– Lembre- se a parede de água pode ser rompida.

Então Constance desaparece em meio a escuridão da floreta;

Após este dia  Eridor jamais a viu.

Com o mapa em mãos, Eridor não perde tempo em ir a caça do dragão místico.

Ele abre o mapa sem perda de tempo, o caminho era longo até a cachoeira das almas perdidas.

Este nome foi dado por que, os guerreiros que desistiam da guerra, se jogavam do alto da

cachoeira dando fim a suas vidas.

Depois de um longo tempo de viagem, Eridor chega a cachoeira, mais não consegue ver

nenhum dragão.

– Aquela bruxa me enganou não tem nada aqui, viajei até aqui por nada.

– Maldição.

– Espere, antes de ela ter ido disse (A parede de água pode ser rompida )

Eridor pega seu escudo, mais deixa bota, e manoplas no chão.

Então o guerreiro nada em direção à cachoeira com o escudo sobre a cabeça consegue passar

as águas da cachoeira, era bem difícil tal feito, porque a queda da água despejava toneladas de

água abaixo.

Finalmente consegue cruzar o muro da água.

Uma caverna é avistada, deixando Eridor feliz por encontra-la mais ele ira lamentar a

descoberta.

– QUEM OUSA ENTRAR EM MEUS APOSENTOS?

– Sou Eridor, guerreiro de evolas, matador de bestas!

– UM GUERREIRO? A MUITO TEMPO NÃO RECEBO UM GUERREIRO COM SUA VIRTUDES!

– OQUE PROCURA JOVEM GUERREIRO?

– Desejo a imortalidade, quero ser o mais poderoso de Evolas, eu preciso.

Então da escuridão surge um dragão enorme de escamas vermelhas, seus chifres eram imenso.

Em sua calda havia enormes pontas de espinhos, suas escamas era de um tom avermelhado

que brilhava na escuridão.

– VEIO PELO O SANGUE GUERREIRO?

– COMO PRETENDE CONSEGUIR TAL FEITO?

– Levarei o sangue nem que eu tenha de mata-lo.

O Dragão solta um rugido que faz a caverna tremer, de sua boca sai um espirito em forma de

homem.

– ANTES TERÁ DE PASSAR POR APROVAÇÕES MEU JOVEM!

Eridor, não recuou, estava decido a conseguir o que queria.

– Eu aceito seu desafio.

– Eridor vai ao encontro da alma, lança um corte horizontal com sua espada, mais nada

acontece com o inimigo.

Ele não podia tocar no espírito guerreiro.

Eridor começou a mostrar preocupação em seu rosto, já estava cansado pelos golpes desferido

ao adversário.

– Como eu o mato?

– USE A SABEDORIA!

Então o espírito desfere um golpe que lança Eridor no chão.

Eridor tentava se proteger dos golpes, mais o espírito guerreiro era muito poderoso.

– Eridor teve uma ideia suicida.

O espirito então novamente ao seu encontro lança um golpe, mais Eridor desvia coloca a mão

sobre a cabeça do espírito e diz;

– Sua batalha acabou meu amigo, vá para casa.

Uma energia toma conta da caverna, uma explosão acontece, e o guerreiro que ali era seu

adversário até então, desaparece em meio a um feixe de luz.

– SÁBIO DE SUA PARTE GUERREIRO DE EVOLAS!

-ESTA CERTO DO QUE QUER?

– Sim! Eu estou.

– APROXIME-SE FILHO!

Então sem deixar a cautela de lado, Eridor se aproxima da fera.

– VIVO NESTE MUNDO A MILÊNIOS GAROTO, JÁ ESTOU CANSADO DE TANTAS BATALHAS, SOU

UM DEUS NESTE CORPO DE DRAGÃO, HOJE VOLTO PARA OS CÉUS ONDE FINALMENTE IREI

DESCANSA!

– Oque quer dizer com essas palavras?

-JÁ IREI TE MOSTRAR, MEUS PODERES SÃO ILIMITADOS, MAIS NÃO DAREI MEU SANGUE.

– Mais você disse que…

– ESPERE AINDA NÃO TERMINEI!

– LHE DAREI UMA COISA AINDA MAIS VALIOSA QUE MEU SANGUE, MAIS PARA OQUE

PRETENDO FAZER VOCÊ DEVE DEIXAR SUA FORMA HUMANA, E DEIXAR HÁBITOS QUE UM DIA

FOI AGRADÁVEL A VOCÊ.

Eridor se assustou com as palavras, mais sua ambição falou mais alta.

– Eu aceito.

Então o Dragão místico fica em uma postura de ataque, diz um dialeto antigo.

lança uma bola de fogo em Eridor, que o faz derreter, apenas deixando seus ossos já

queimados no solo da caverna.

Uma escuridão total toma conta de todo ambiente que a minutos atras estava sem iluminada

por escamas!

– ( Arrrh )

– Oque aconteceu?

–  a última coisa que lembro foi aquele maldito dragão lançando uma bola de fogo em minha

direção.

– Maldito seja.

– Meu corpo dói, minha cabeça. Ela  vai explodir.

– Preciso sair dessa escuridão.

Logo a sua frente uma pequena poça é formada sobre os respingos de aguá que cai da

cachoeira.

O guerreiro então decidiu lavar o rosto, e vê se havia alguma queimadura.

Quando o guerreiro olha na imagem refletida sobre a água, toma um susto e decidi olhar para

suas mãos que já não era mão e sim Garras enormes e afiadas.

– Esta é a fonte de poder? Sinto-me OTIMOOOOO

O jovem guerreiro a partir deste dia ficou conhecido como Eridor, O dragão de escamas

vermelhas.

em voo sai da garganta da cachoeira.

O primeiro voo de Eridor.

Este Capitulo contara uma parte da batalha entre o grande mestre e Eridor.

Frente a frente com Eridor, o grande mestre, tenta convencer o dragão, que seu reino de

maldades só trará desgraça para evolas!

– Acha que me importo velho?

– Este mundo é meu!

– E não tem nada que você possa fazer para mudar isso!

– Você já foi um guerreiro que lutava contra o mal Eridor,  mais sua ambição o fez se

transformar neste monstro que ninguém quer ter por perto.

– Essas maldades não chegaram a lugar nenhum

– Sim! Já fui um mestre em Evolas, mais hoje estou completo, meus poderes são ilimitado

velho.

– Será que o seus também são?

– Vou deixar que descubra.

Disse o grande mestre com uma expressão confiante.

Sem muito pensar eridor, lança sua calda encima do mestre.

Mais desvia sem muita dificuldade, o dragão investe novamente com um tapa no chão em

direção ao seu inimigo, fazendo uma enorme cratera no chão, pedras enormes são lançadas

em direção ao mestre,  e sem dificuldades quebra as pedras com o próprio punho.

Eridor faz um bater de asas que cria um vento tão grande que o faz cortante.

– É tudo isso que você tem Éridor?

– AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

O dragão arregala os olhos solta um rugido que faz raios saírem de sua boca indo em direção

ao seu inimigo, os raios o certa em cheio o jogando com brutalidade em uma parede de

rochas.

O dragão solta outra rajadas de raios mais o mestre o segura com sua espada.

E investe o raio contra eridor, mais não surtiu efeito algum contra o mostro.

Em uma velocidade anormal o mestre investe um golpe certeiro no estomago da fera,

fazendo-a  cair no chão, o dragão por sua vez, passa sua calda em rasteira no solo, mais o

mestre bloqueia o golpe.

O dragão além de muito grande era rápido, um golpe com suas garras acerta o mestre fazendo

o velho guerreiro ir de encontro a uma rocha, o impacto foi tão grande que fez a grande

montanha tremer.

Em meio aos escombros o mestre sai sem ferimento algum.

Movimento rápido com sua espada mística, e com muita velocidade vai em direção ao dragão.

E o acerta fazendo um corte profundo na face da fera, que solta um rugido de dor.

O mestre da outra investida com o cabo de suas espada no peito da fera e a faz cair em solo.

O dragão com velocidade fora do normal, levanta voo,e fica acima de seu oponente!

– Este sera seu fim velho!

Uma bola de fogo enorme começa a sair da boca da fera.

– Protejam se meninos rápidos.

Larry pede para Peter tomar conta de Zhao e sai correndo em direção ao campo de batalha.

A bola de fogo começa a crescer mais e mais boa parte da montanha entra em escuridão,

Sem misericórdia o dragão solta a bola de fogo que vai em direção ao mestre.

Em posição de defesa ele aguarda a chegada da bola de fogo, temendo não conseguir segura-

la!

Uma explosão de proporção enorme destrói uma boa parte da montanha.

O dragão já esperando ver o corpo do mestre em chamas no chão, se surpreende com Larry na

frente do mestre.

– Como você?

– Seu bastardo, como ousa?

O baixar da poeira revela outra forma de Larry.

O garoto estava com os olhos maiores que o normal, de uma cor vermelha com brilho intenso

azul em volta de seus olhos.

Seus braços estavam maiores com escamas, seu cabelo havia tomado uma forma diferente,

maior, o vermelho natural que em outrora era normal agora estava mais intenso.

Ao ver o guerreiro com aquele aspecto, Eridor não conseguia intender o que estava

acontecendo.

O dragão via no menino certa semelhança com ele mesmo.

Isso o assustava, talvez Eridor não fosse o único ser poderoso em evolas.

Com suas enormes asas, o dragão sai do campo de batalha.

– Ainda nós encontraremos garoto.

Eridor era sábio, ele foi encontrar respostas, o monstro sabia exatamente com quem.

Larry ainda permanecia  em posição de bloqueio, mais desta vez ele estava mais consciente

sobre tudo oque estava acontecendo.

Peter vê que o dragão havia ido embora e vai para perto do irmão, ver melhor a figura que ali

estava!

– Larry?

– Você esta incrível, como se sente?

– Me sinto bem Peter, mais minha garganta dói muito.

– Saiam de perto de mim rápido, corre Peter DEPRESSA;

– Oque esta acontecendo?

– Alguma coisa que sair de perto de mim!

– Sai de perto, depressa.

Então com muita rapidez o grande mestre tira Peter do local onde Larry estava.

– Mestre minha garganta vai explodir.

– Abra a boca e  cuspa garoto.

O garoto abre sua boca e uma enorme bola de fogo sai levando tudo pela frente.

– O que foi isso mestre? Larry pode soltar fogo pela a garganta?

– Este foi o seu primeiro hálito de dragão Peter, em breve você também será capaz.

– Incrível.

Peter, como sempre impressionado com tudo o que acontecia.

– Certo Larry, acabou. Este foi o seu primeiro de muitos  hálitos de dragão que você ira soltar.

– Eu me sinto melhor agora.

– Tente voltar a sua forma natural;

– Como faço isso mestre?

– Pense na imagem de você mesmo antes da transformação.

– Vou tentar.

Mais o garoto não consegue.

– Vamos esperar a energia que o envolve diminuir.

E finalmente Larry volta ao seu aspecto “humano”

– Muito bom garoto.

– Mestre preciso saber de onde vem essa fonte de poder.

– Tudo á seu tempo meu jovem.

O mestre sussurra um dialeto antigo e a armadura que estava vestindo desaparece de seu

corpo!

– Venham vamos ver como zhao esta!

Todos vão ver se zhao ainda estava vivo, não é qualquer um que sobrevive a um ataque de

Eridor.

– Por que fez isso Zhao?

– Ele esta com Selina!

– Como isso foi acontecer?

– Seus lacaios invadiram minha casa, e a raptaram, eu tinha saído para a caça foi tudo culpa

minha, se eu tivesse ficado!

– Vamos ajuda-lo a trazê-la de volta meu amigo, não se preocupe.

-Maicon depositou sua confiança em mim, para deixar os garotos a salvo mais falhei.

– Não zhão eles estão protegido fez um bom trabalho.

Com um passar de mãos sobre a cabeça de zhao, o mestre revela a  verdadeira forma do

amigo.

Zhao era um humano, um guerreiro poderoso em evolas, um dos protetores do reino da

magia.

Tinha um Dom incrível em se transformar em qualquer ser da natureza!

Zhão mostra um porte físico incrível, seus olhos eram azuis, e cabelos negros.

– Salve Selina mestre, e proteja os garotos.

– Não fale mais zhao, você pode piorar amigo.

Essas foram às palavras de Larry.

– É amigão, fique em silêncio o mestre vai cura-lo não vai?

– É muito tarde para ele Garotos.

Então o grande tigre exala seu último suspiro, deixando para sempre a terra da magia

chamada Evolas.

Após um 7 da morte de Zhao, nossos guerreiros ficaram mais poderosos.

Larry, já tinha controle absoluto com a sua transformação, Peter ainda estava tentando

controlar as chamas que saiam de suas mãos, mais a sua transformação ainda não havia se

manifestado.

O treinamento ainda era intenso, o grande mestre era muito exigente com os garotos, vejamos

algumas das instruções do sábio.

– Larry, Peter, vocês estão tendo um avanço muito grande de seus poderes.

– Larry você esta indo muito bem, só precisa controlar melhor a chama que arde em sua

garganta!

– Aquela demonstração que vocês nós deu, foi apenas uma pequena parte de seus poderes!

– Para derrotar Eridor, vão precisar ter pleno controle de todo o se poder!

– Peter tenho uma tarefa para você.

– Vê aquele pedaço de rocha?

– Sim senhor.

– Quero que você a derreta com suas chamas.

– Derrete-la? Mais vou precisar de muito calor!

– Como faço isso?

– Minhas chamas não estão tão intensas para este feito.

– O que você sente quando lança as chamas Peter?

– Sinto um calor dentro do meu corpo, e vejo uma necessidade de expulsa-lo.

– Concentre-se na intensidade das chama Peter, elas lhe obedecem pense em sua intensidade.

Então o garoto faz a primeira tentativa, suas mãos começam a sair chamas, o garoto se

concentra em lança uma rajada na direção da pedra,  mais apenas causa um buraco em sua

superfície.

– Vamos garoto, concentre-se. Larry já domina a mutação, e esta quase dominando o hálito de

dragão, você é fraco Peter?

– Você é fraco Peter?

– Não sou fraco!

– Então prove.

– Vamos derreta aquela pedra!

– Derreta vamos, depressa.

– Zhao esta morto, porque você não foi capaz de ajuda-lo, você é fraco.

– Não sou fraco, pare com isso.

– Mestre você esta irritando ele, pare.

– Você é fraco Peter, não será capaz de controlar seus poderes.

– Faça, vamos AGORAAAAAAA!

– PAREEEEEEEEEEEE.

Uma chama envolve todo o corpo de Peter,  o garoto e as chamas são 1 só.

Com um movimento a pedra explode, a explosão deixa nossos companheiros sem ouvir por

alguns segundos.

O solo envolta de Peter começou a se derreter, as chamas aumentavam mais e mais, o

ambiente estava ficando insuportável, com muita dificuldade Larry e o mestre respiravam.

De suas  narinas de Larry escorria sangue!

– Mestre peça para ele parar.

– Não Larry só mais um pouco.

Quando menos se esperava uma enorme chama vai de encontro ao dois,o mestre  hábil como

era desvia, e as chamas acertam uma pequena montanha que em instantes se despedaça

causando uma explosão!

Peter olha para o mestre, levanta seus braços para o céu, e as chamas se intensificam mais

uma cratera é aberta próxima do jovem guerreiro, Larry corre para o lado de seu protetor.

– Chega Peter, já sabemos que as controla.

– Agora para.

Com outro movimento, só que para baixo as chamas sessam fazendo o garoto voltar ao

normal.

– Era isso que eu queria Pater, meu parabém desculpe pela as palavras, eu precisava vê seus

limites.

– Mestre já esta na hora da gente saber, de onde vem este poder.

– Sim Larry esta na hora.

Vocês e Eridor têm muito mais em comum do que imagina.

– O que quer dizer com isso?

– Nossos poderes veem da mesma fonte?

– Sim Peter, uma fonte com poderes ilimitados.

– E como foi que conseguimos estes poderes?

– Não conseguiram herdaram.

– Herdamos de quem?

– O dragão místico de escamas vermelhas, um Deus que hoje vive nos céus.

– Dragão místico? Eridor?

– Não Peter, Eridor ganhou o poder do dragão, há muitos tempo atrás.

– Mais antes de tal feito, o velho dragão nos pregou uma peça.

– Ele teve dois filhos.

Eridor, estevava possuído pela a raiva, a vontade de saber quem era aquelas crianças mexia

com sua alma!

Planando sobre as planícies de evolas, especificamente no local onde a bruxa quase havia sido

morta por suas mãos.

O dragão sabia dos costumes das damas da noite, sua visão era apurada e capaz de avistar um

coelho correndo sobre a mata.

Eridor avista uma sombra esgueirando sobre as árvores no bosque.

O dragão tenta pousar em meio aquele monte de árvores, mais consegue com muita

dificuldade.

Com o barulho, a sombra que ate então estava oculta é revelada, uma moça de cabelos

negros, a pele tinha o tom da noite, e de estatura mediana.

– Revele seu nome Bruxa!

– Barbara, senhor de evolas.

– Me agrada esta devoção, onde posso encontrar Constance.

– Há muitos séculos não a vejo meu senhor.

– Um preciso encontra-la.

– Diga bruxa acha que pode mentir pra mim?

– Sou Eridor senhor de evolas, devo avisa-la que meu estomago anseia por carne.

– E, e, e, eu juro pela as sombras meu senhor, não sei onde encontra-la!

(Rugido)

Eridor pega a bruxa com suas garras, e põe próximo de sua boca, enorme cheia de dentes

afiados.

– NO VALE DAS SOMBRASSS.

– Disse algo bruxa?

– No vale das sombras meu senhor, lá ira encontrar o que procura.

– Muito bem, esta livre.

Eridor a coloca no chão, mais com um simples movimento com sua cabeça engole a bruxa.

– Nunca confie em um dragão pedaço de carne.

Imediatamente Eridor, levanta voo, e vai até o vale das sombras.

Constance era a rainha das bruxas, a mais antiga entre elas, seus poderes eram inimagináveis.

Não demora muito, Eridor já estava nos domínios do vale das sombras.

O vale era sombrio, almas perambulavam entre as arvores, gemiam, sussurravam,

reclamavam. Todas as almas que ali habitavam eram em outrora inimigos de Constance, que

foram sentenciados a pagar por suas fronta.

Em meio às árvores Eridor avista uma pequena choupana, e pousa nas proximidades.

Quando a fera toma sua postura de rei após o pouso forçado.

Constance estava sentada no telhado da choupana já a espera de Eridor.

– Esperava por você senhor de evolas.

– Como sabia que eu viria  bruxa?

– Por favor, somos íntimos Eridor me chame de Constance.

– Vejo que conseguiu oque procurava, até mais!

– Sim, consegui agora sou completo.

– Eu a chamo como quiser bruxa, deixe de ladainhas.

– Sabe por que estou aqui?

– Sim!

– Veio em busca de respostas, e talvez eu a tenho.

– Talvez?

O que quer em troca?

– Apenas a destruição de Larry Johnson.

– É por que quer sua morte?

– Há muito tempo fui conferir como andava os filhos do Dragão Deus, o grande dragão de

escamas vermelhas.

– Sabe de qual dragão estou falando “meu lindo”.

– Aquela criança medíocre me feriu, só porque eu queria comer o irmãozinho dele,

Guardo a cicatriz daquela espada nojenta até hoje.

Eridor perde toda a pigmentação de suas escamas, após tal revelação.

– FILHOS?

– Aqueles moleques enxeridos são filhos do dragão místico?

– Não poder ser!

– Isso não é possível.

– Mais como?

– Sim, meu querido é possível.

– Eles têm mais do que 10 anos.

– O dragão místico morreu tem séculos, milênios,  bruxa.

– isso é verdade, “lindinho” Mais eles não têm 10 a 12 anos um porquinho mais.

E não sabem da imortalidade.

– Imortalidade?

– Aqueles pedaços de carne, são imortais.

– Diga-me bruxa, como isso foi acontecer?

– Um belo dia o senhor dos dragões conheceu uma Deusa.

– Deusa? Vamos prossiga.

– Uma Deusa, seu nome não pode ser revelado por minha língua.

– O grande dragão místico, é muito mais poderoso do que imagina ERIDOR.

– Ele pode assumir varias formas, assim como eu, e alguns guerreiros de evolas.

– Você possui uma pequena parte de seus poder.

– o restante esta com os irmãos Johnson, e devo avisa-lo esta parte supera seus poderes.

– Eles ainda têm o sangue de sua mãe, uma Deusa muito poderosa.

– Você não é nada perto dela.

– Precisa deter os meninos, eles são uma ameaça para todos nós.

– Como faço isso bruxa?

– Ele tem a proteção do grande mestre, a 7 meses  atrás travei uma batalha contra aquele

velho.

– Diga – me bruxa como Maicon, colocou as mãos nos garotos?

– Entre todos os humanos e não só no reino da magia, Maicon foi o escolhido para ser o tutor

dos jovens.

– A cada dia que passam eles estão ficando mais  forte.

– Se mata-los meu querido, poderá pegar seu poder para si próprio.

– Hum, eu seria mais que um Deus.

– Governaria o mundo da magia, e dos humanos.

– Me ajude bruxa,  deixo o mundo dos humanos sobre suas mãos.

– E eu seria sua rainha.

– Não diga bobagens.

– Farei um favor para você acabarei com aqueles moleques de uma vez.

– Para isso preciso de sua ajuda.

– tomarei minhas providencias senhor dos dragões.

– Em breve Larry e Peter serão história.

– Mantenho contato bruxa.

– Preciso meditar sobre tudo o que foi dito aqui.

– Com um salto Eridor sai voando do vale das sombras.

 

‘BRUXA MEDIOCRE ACHA QUE TERA CONTROLE DO MUNDO DOS HUMANOS

TUDO SERA MEU’

‘Dragão idiota, seu fim esta mais próximo do que imagina, Evolas será minha’

CAPITULO VI – A morte de Constance

Os irmãos Larry e Peter treinavam duro para o aprimoramento de seus poderes.

Larry já tinha total controle de sua transformação, Peter tinha o controle das chamas do.

Dragão.

Que por sinal era extremamente letal.

Seus poderes superavam os de Eridor, e do grande mestre. Afinal eles eram nada mais que os

Filhos de uma Deusa,e um dragão místico.

Mas eles não sabiam de tal história estupenda, mas logo isso iria mudar.

Eridor tinha a vantagem sobre a informação e maquiava um plano, para a derrota dos irmãos.

E Constance também!

A Aliança estavaa formada, porém, tanto quanto Constance e Eridor estavam agindo por

conta.

Própria.

Constance por ser uma bruxa de muitos poderes sabia a localização dos nossos heróis, um.

Ataque estava em andamento…

Conhecedora das artes das trevas a bruxa enviou um grupo de Ogro.

Constance ansiava pelos poderes dos irmãos, boa parte permanecia oculto.

– Grande mestre está sentindo um cheiro estranho no ar?

– Sim meu filho!

– Este cheiro não me é estranho.

– Ei Larry não parece o cheiro daquele Ogro da ponte?

– Não sei Peter, mas lembra muito.

– Larry e Peter, vejam o que esta acontecendo lá embaixo na floresta.

– Sim mestre.

Os garotos saem correndo em direção ao pé da montanha, quando o mestre os interrompe.

– Espera para onde vocês vão?

– Vamos até a floresta ver o que esta acontecendo.

– Sim, mas quero façam isso daqui.

– Como assim mestre? Temos que descer ate lá! Não temos?

– Não necessariamente “meus filhos”.

– Vocês tem uma visão muito além do comum do que os dos humanos podem ver a

quilômetros

De distancia sem sair do lugar.

– Larry você se lembra do treinamento que Zhao deu a vocês?

Ficar em silêncio, respirar fundo, sentir o odor ao seu redor,

A visão de dragão é semelhante meus filhos.

– Larry vá até aquela parte da montanha concentre-se no odor que está sentindo.

– Concentre-se de onde ele vem!

– Certo mestre!

Larry olha fixamente para o horizonte sente o odor, respira fundo o odor fica cada vez

mais com forte, a brisa bate sobre o rosto branco, e cheio de sardas de Larry, seus cabelos

dançam de acordo com o vai e vem do vento.

O Tom vermelho toma conta do azul que antes predominava nos olhos do garoto.

O vermelho intenso chega a brilhar sobre os raios do sol, tornando possível Larry ver tudo, e

Quem se movimenta na floresta.

Não demora muito Larry avista o grupo de ogros indo em direção à montanha.

Seus músculos enormes, sua tonalidade cinza, e clavas de tronco de árvores, que os tornavam

ainda amis ameaçadores.

– Mestre, Peter, tem um grupo de ogros vindo em direção à montanha!

– Preparem- se para o ataque!

O mestre mal terminou sua frase e os Ogros já estavam no topo da montanha com se fosse

uma

Um ogro maior e de cor esverdeada era o líder do bando.

– Minha rainha pediu para capturar os filhos do Dragão.

– E o que o faz pensar que terá sucesso ogro?

– (Risos) Não se lembra da própria família Miracúlos.

– Não!!!

– Mas você está morto!

– Não graças a Constance, naquela noite após a batalha com Zhao, sai muito ferido.

– Mas minha vingança foi concretizada, Selina esta presa em um calabouço.

– Como pode Minos?

– A batalha foi justa, você foi um covarde em ter fugido.

– CHEGA!

– Devo obediência madame Constance.

– Constance?

– Larry foi à mulher que nos atacou em Winterhold.

– Sim Peter, Constance é a rainha das bruxas em Evolas, ela é muito poderosa se ela esta atrás

de vocês coisa boa não deve ser.

– Chega de falatórios, os entregue e deixamos a montanha.

– Acha que será tão fácil assim?

– Onde você escondeu Selina?

– Cale-se seu moleque.

– Diga onde a escondeu e eu o deixo sair vivo desta montanha.

– Ouviram isso rapazes? Ele vai acabar com a gente que piada, sou um guerreiro antigo de

Evolas garoto, não see taaaaaaaaaaaa (toses)

Larry fez a sua transformação tão rápido que Minos não percebeu enquanto falava.

Foi um golpe certeiro no estomago do ogro, minos, o ataque o fez cair no chão inconsciente.

O garoto estava com os olhos maiores que o normal, de uma cor vermelha,vermelha como a

da  da ultima transformação.

Seus braços estavam maiores e com escamas, seu cabelo havia tomado uma forma diferente,

o vermelho natural que em outrora era normal agora estava mais intenso.

Quando os outros ogros viram a imagem do garoto ali, nocauteando Minos recuaram.

– (ATAQUEM SEUS INÚTEIS)

A voz de Constance ecoava no alto da montanha e ordenava o ataque.

– Ataquem seus inúteis eles são apenas um garoto e um velho.

Seus ataques certeiros eram fatais, devido a sua enorme força.

– Larry volte para cá,

– Peter em posição de ataque.

Peter envolve seu corpo com chamas.

O mestre invoca apenas sua espada mística.

Dois ogros vão correndo em direção de Larry, enquanto outros vão para cima do velho mestre.

e de Peter.

Peter já muito ágil investe um ataque com bola de chamas em um dos ogros, fazendo a fera.

Queimar em chamas ardentes, mas o garoto também tinha golpes muito poderosos.

O mestre corta um dos lacaios de Constance ao meio com sua espada, não dando chances a

Sua vitima.

Larry investe golpes letais (Esquerda, direita, chute alto).

Zafira nem precisou ser invocada para dar conta das feras da floresta.

Peter Lançava bolas de fogo, explodia 1,2,3 Ogros sem dificuldade.

Miraculos o nome verdadeiro do mestre, facilmente dava conta de seus adversários, somente

com sua espada mística.

Um dos ogros agarra Peter pelas as costas e o joga longe, fazendo seu corpo pingar no solo.

Feito bola, mas o ataque não feriu o garoto, ele  levanta como se nada tivesse acontecido, com

Sua velocidade fora do normal, Peter da um salto e desferi um soco que lança o Ogro com.

Violência na rocha, fazendo a fera ficar desacordada.

Os adversários não tinham a menor chance contra os ataques, Larry e Peter não eram mais.

Aqueles garotos que Constance havia atacado em Winterhold.

Larry e Peter estavam letais, poderosos, a cada transformação, a cada uso de seus poderes,

Mais fortes eles ficavam todos os Ogros caem.

– (Isso foi impressionante jovem guerreiro mais não será o bastante para me deter)

O céu começou a perder o brilho claro do azul, a cor negra tomou conta do seu de evolas.

Uma tempestade fora do comum estava chegando.

– O que pode ser isso?

– Não baixem a guarda Larry, você também Peter.

Surge um circulo de cinzas negras na frente de nossos heróis, era a bruxa Constance.

Cabelos e olhos negros, a de uma estatura fora do normal para uma mulher.

– Hora, Hora senão é os irmãos Larry e Peter, parece que meus ogros não foram problema para

Vocês.

– Como vai Miracúlos? Está encantador querido!

– Deixe de cerimonias bruxa, saia da minha montanha.

– Infelizmente não posso atender seu pedido velho.

– Porque atacou meu irmão em winterhold?

– Apenas negócio lindinho.

– Negocio? Você queria almoçar Peter.

– De certa forma sim! Mais tem coisas além de sua imaginação Larry.

– Venham comigo? Farei de vocês Deuses em evolas.

– Não estou interessado bruxa. Saia daqui!

– Own que pena, tenho grandes planos para vocês.

– Miracúlos contou a verdadeira história sobre vocês?

– Claro que sim!

– Venham comigo! Comigo tiraram toda suas duvidas, posso deixa-los ainda mais poderosos.

– Já estou fazendo isso bruxa, sou o tutor deles, estão sobre minha proteção.

– Proteção? Você não pode nem proteger a si mesmo velho.

– Isso você que esta dizendo bruxa.

– O nome Héstia te diz alguma coisa?

– Este nome não pode ser pronunciado por mim velho.

– Acha que ela ira interferir em meus planos? Uma Deusa não pode interferir no Livre arbítrio,

Muito menos em evolas.

– Será? Filhos são filhos bruxa.

– O que isso quer dizer mestre? Quem é Héstia?

– A deusa do fogo Peter, sua mãe.

– Mais minha mãe é a Maggie.

– Não Peter, sua mãe é a deusa do fogo Héstia, o pai de vocês é o dragão místico.

– Vocês foram criados desde muito pequenos por Maicon e Maggie.

– Não pode ser. Porque não contaram antes?

– É um assunto delicado Larry, iria contar assim que seus poderes tivessem desenvolvidos por.

– Então tudo o que vivi era uma mentira?

– Eles mentem para você desde sempre Peter, seus pais não gostam de você, por isso te

deram.

Para Maicon!

– Maicon abandou vocês com medo do que vocês iriam se transformar.

– Os poderes de vocês afastam as pessoas. Vejam só até  Zhao esta morto.

– E Selina esta presa, o mestre esta prestes a morrer aqui, em sua montanha.

– Venham comigo, trarei zhao de volta, devolverei Selina, e deixo seu mestre em PAZ.

– Não Peter, não dê ouvidos á ela.

– Ela não é confiável.

– SILÊNCIO VELHO.

– Saia de nossa montanha bruxa.

– Venha comigo Larry, sou a resposta para todas suas perguntas.

– Nunca!

– Se está é sua ultima resposta, não tenho alternativa a não ser mata-los.

– ESQUELETOS!

Os esqueletos de Constance  possuíam armaduras, escudos,

Espadas, clavas, martelos, eram formidáveis guerreiros, que em outra época defendia evolas.

– APAREÇA ZAFIRA.

Larry conjura sua espada encantada, e logo se começa uma batalha difícil entre os esqueletos.

De Constance.

Larry com sua velocidade incrível consegue derrubar alguns.

O garoto defendeu com zafira, mas o esqueleto da outra investida pondo Larry no chão, a

Espada afiada do homem sem carne corta uma das pernas de Larry, um corte de aparência

Profunda dificultando os movimentos do guerreiro. Mas isto não era um problema para Larry!

Peter lança chamas em seus inimigos dando uma “morte” terrível. Morte?

Sim morte? Quer dizer derruba os inimigos já que os esqueletos já estavam mortos.

(Rum,Rum)

O mestre derruba muitos guerreiros, mas seu alvo era a bruxa, que estava ali de pé apenas

apreciando o vigor da batalha, estudando os movimentos de Peter e Larry.

– Este é seu fim bruxa.

O mestre joga sua espada em direção a Constance mas ela desvia com facilidade dos ataques,

Mesmo com todo seu tamanho.

Com um sinal de mãos a espada do mestre retorna.

– Acha que pode comigo velho?

– Não só posso como vou derrota-la.

Um brilho intenso envolve o corpo de Miraculos, deixando visível uma armadura incrível, com.

Detalhe em ouro parecia uma armadura dos deuses.

Corte horizontal, corte frontal, giro de mão, mas Constance desvia de todos os golpes.

Desferidos por Miraculos.

Mas infelizmente a bruxa resolve investir um golpe a bruxa conjura um pedaço de madeira

pequeno estreito, e muito parecido com um pequeno galho de arvore.

Em sua ponta havia uma joia vermelha, um Rubi.

Era um artefato muito estranho, mas não para Miraculos.

– A varinha do mago Merlin?

– Como possui esta joia bruxa?

Um sopro terrível de vento vai ao encontro de Miraculos, mas ele tenta resistir firme em.

Posição de defesa, lufadas terríveis de vento é jogada em sua direção, fazendo os esqueletos.

Ao redor serem jogados longe fora da montanha. O vento era tão cortante, que começou a

Fazer pequenas rachaduras na armadura do grande mestre, com um corte vertical com sua

Espada o vento é direcionado para outra direção.

Não demora muito Miraculos lança raios em direção a bruxa, acertando-a em cheio.

Seu corpo é jogado no chão, mas a bruxa levanta como se nada tivesse acontecido.

Larry e Peter se juntam com o mestre na batalha para derrubar definitivamente Constance.

Com sua espada zafira, Larry lança um flete de fogo, E Peter por sua vez joga uma bola imensa.

De fogo, o grande mestre desferiu golpes sequenciais de Raios em direção a bruxa sombria.

Um som estarrecedor é ecua por toda montanha deixando uma grande e inevitável nuvem de

Fumaça.

– Será que ela morreu?

– Não Peter, ela ainda esta viva.

Em meio a fumaça surge um pequeno raio de luz que começou a tomar proporções incríveis.

Um raio sai em meio à luz acertando o peito de Miraculos.

– MESTREEEEEEEE!

Sua armadura não suportou tanta energia.

– Mestre levanta vamos! Você não pode morrer aqui.

– Não se preocupe comigo garotos vou ficar bem (Tosses)

Sangue escoava da boca do grande guerreiro Miraculos.

– Disse para sair do meu caminho velho.

Peter olha para Constance e começa a dizer um dialeto estranho, nunca ouvido em evolas.

IMANALE HAZSCINE HAME TUZI!

– O que foi isso Peter?

– Peter?

O garoto estava com uma voz terrivelmente cortante, forte, seu som causava medo,

alguns esqueletos que ainda permanecia ali  se desmontaram, outros saíram do local.

– O que foi isso? Quem esta ai?

– SILÊNCIO BRUXA, COMO OUSA ATACAR MEUS MENINOS?

– Seus meninos? não meu senhor eu, eu não sabia que eles eram seu filhos.

– MENTIRA.

– Filhos?

– SIM LARRY É SEU PAI.

– PODE ME CHAMAR DE O GRANDE DRAGÃO MISTICO DE ESCAMAS VERMELHA.

– Meu senhor, eu não tive a intenção de machuca-los, só queria protege-los de

– Eridor?

– HUM, AQUELE DRAGÃO DESPREZÍVEL AINDA ESTA VIVO.

– Vive no alto de uma montanha, meu senhor.

– LARRY?

– Si Sim!

-ACABE COM ELA.

– Acabar com ela? Mais não sei se posso.

– Ela é muito poderosa.

– Já disse meu senhor eu não queria fazer mal aos garotos só queria protege-los de Eridor.

– CHEGA BRUXA, OUSA INSULTAR MINHA INTELIGENCIA?

– ACABE COM ELA GAROTO.

Larry corre em direção a Constance empunhando sua espada Zafira, com muita habilidade.

Larry desferiu golpes contra a bruxa, que desvia com facilidade a bruxa não se intimida com a

presença do grande dragão e reage, um chute alto acerta Larry fazendo o jovem cair no chão.

Com muita dificuldade Larry se levanta e fica frente a frente com Constance!

– CONCENTRE EM SEU PODER LARRY, VOCÊ É MEU FILHO. SEUS PODERES SÃO INIMAGINÁVEIS.

AGORA DERROTE ESSA INSIGNIFICANTE!

Larry fecha seus olhos, e uma neblina com raios surge em volta do corpo do garoto, a neblina.

Dificultava que Constance e os outros vissem o que estava acontecendo.

Larry estava sofrendo mais uma de muita transformação!

Seu corpo começou a tomar formas, as escamas vermelhas tomava conta de sua  pele, seus

dentes foram substituídos por presas suas mãos se transformaram em garras do tamanho de

rochas que ali habitavam a montanha, Larry havia se

Transformado em um dragão  só que ainda mais poderoso que Eridor  e de proporções dez

vezes maiores!

A imagem do dragão deixou Constance apavorada, Eridor já causava medo mais um dragão de

proporções maiores e mais feroz, deixava a feiticeira sem reação, a merce da própria sorte!

– Larry querido eu nunca quis fazer mal á vocês, apenas queria protege-lo.

– Seu inimigo é Eridor, ele que deseja a destruição de vocês.

Constance dizia as frases com um sorriso em seus lábios, mais não um sorriso de alegria e sim,

de tristeza, a bruxa começava a soar frio.

Constance parecia um anão da floresta perto do “jovem dragão”

Larry se aproxima da bruxa, fixa seus olhos no dela mais uma vez os dois ficam frente a frente.

Larry solta um rugido baixo perto da bruxa.

– POSSO VER SUA ALMA BRUXA E VOCÊ MENTE. SINTO CHEIRO DE MEDO.

Sua voz era cortante forte, grossa agressiva era como se fosse um trovão se chocando contra o

solo!

Constance arregala seus olhos e sente a morte de perto!

Aquelas palavras fizeram a bruxa começar a tremer, e a gaguejar.

– Na não minto eu juro.

Enquanto a bruxa falava pensava em sua varinha em uma tentativa desesperada de fuga.

Constance levanta sua varinha e um brilho intenso de luz deixa todos ali cegos

Quando todos dão por si, a bruxa conjura um grupo de ogros da floresta, ogros surgem

e enormes com suas clavas maciças feitas de tronco de árvores.

O grupo foi para encima do dragão que sem esforço colocou todos no chão.

Com um suas chamas cindo da garganta, o dragão derrete todos os ogros sem misericórdia.

Os ogros não tinha chance alguma.

Mas foi apenas uma distração para a bruxa Constance tentar escapar, mas a tentativa não teve

êxito.

Antes que a bruxa tenta-se escapar, Miraculos consegue captura-la!

– Onde você pensa que vai filha das trevas?

– Me solta velho imundo!

– Sou Constance a rainha de evolas!

– Aqui você não é ninguém!

– Larry decidira seu destino, se eu fosse você começava a rezar.

Larry se aproxima de Constance, cheira seu rosto e solta um rugido que lança o corpo de.

Constance para trás, o rugido foi ouvido por todo reino magico!

A bruxa se arrepiou e então ficou calada, calada para sempre, o dragão engole a bruxa sem.

– ESCOLHA DIGNA DE UM DRAGÃO MEU FILHO, ELA MERECIA!

O Grande mestre estava com uma fala diferente doce, carinhosa.

Um brilho envolve seu corpo dando espaço para um guerreiro de cabelos cumpridos da altura

da cintura de cor avermelhada, seus olhos eram da cor do céu!

O Jovem rapaz lembrava muito Peter.

– O feitiço foi quebrado meu velho amigo

– PAI?

– Sim Larry, sou eu Maicon seu Pai!

– SEJA BEM VINDO MEU AMIGO, O FEITIÇO DA BRUXA FOI FINALMENTE QUEBRADO, MEU

TEMPO AQUI ESTA ACABANDO PRECISO VOLTAR PARES OS CÉUS, SUA MÃE ME AGUARDA.

DIGA A PETER QUE EU O AMO!

O espirito do dragão deixa o corpo do menino, deixando Peter desacordado por um pequeno

período!

A morte de Constance chegou aos ouvidos de todos habitantes de evolas, inclusive de Eridor.

– Mestre, a Dama das trevas esta morta.

– Como assim morta? Explique verme.

– Não sei ao certo meu senhor, um Ogro sobrevivente disse que foi por um dragão de escamas.

– Será que ele esta de volta.

– Ele quem mi lorde?

– Nada se retire, chame o falcão negro, diga que tenho um serviço para ele.

O falcão negro era uma ave enorme, veloz, e letal!

Eridor tinha olheiros e lacaios por toda evolas.

– Chamou mestre?

– Sim! Preciso que veja o que esta acontecendo na grande montanha.

– Seu desejo é uma ordem meu rei.

Não demora muito a ave já estava sobrevoando evolas, em busca de informações para Eridor.

– Pai? Era você o tempo todo?

Larry fica espantado com a revelação, O grande mestre era seu Pai.

– Sim Larry, estava preso neste corpo, um feitiço de Constance.

Constance havia o enfeitiçado, há tempos atrás após seu amor ser rejeitado por Maicon!

Já que seu amor não foi correspondido, a bruxa aprisionou o guerreiro em um corpo velho,

Afinal quem iria querer um velho de mil anos?

Se ele não fosse dela, não seria de mais ninguém!

Neste dia Maicon se transformou em um grande sábio de Evolas, e conselheiro dos anãos

guerreiros da floresta.

– HÁ MUITO OQUE FAZER MAICON, ERIDOR AINDA ESTA SOLTO POR ESSAS TERRAS, UMA BOA

PARTE DISSO TUDO E POR MINHA CAUSA, IMPEÇA-O MEU FILHOS NÃO PODEM VIVER EM

EVOLAS ENQUANTO ERIDOR ESTIVER VIVO.

Essa foram as ultimas palavras do grande dragão depois de ter saído do corpo de Peter.

– Esta certo Dragão místico, temos muito o que fazer.

– Impressionante sua transformação filho, estou orgulhoso.

– Ei Larry o que aconteceu?

– De repente tudo ficou escuro.

(tosses)

– me sinto pesado, cansado.

– PAPAI?

– Veja Larry é o papai.

– Eu o vi Peter, temos muito o que conversar.

– Tenho noticias meu Rei, um dos garotos foi possuído pelo dragão místico.

E isso não é tudo mi lorde, o menino Larry já consegue se transformar em um dragão.

– Foi mais rápido do que imaginei.

– Diga, diga mais.

– Maicon esta de volta.

– Isso já era previsto Falcon, já que aquela bruxa inútil morreu.

O Feitiço foi quebrado. Preciso agir logo.

– Tempos difíceis esta por vim.

– Bom trabalho.

Muitas surpresas, e aventuras esta por vir, novos personagens irão surgir, nossos amigos.

Ganharam mais poderes, Peter fara uma viagem para conhecer sua mãe.

A Destruição de Evolas

 

A Chave para o Mundo das trevas

 

ATO I – Batalhando pela a Chave das trevas

Três anos se passaram após a morte da bruxa Constance evolas pela a primeira vez estava em

paz. As bruxas já não saiam à noite para suas coletas de ingrediente para feitiços macabros, os

ogros da floresta não saiam de suas cavernas, as batalhas entre os anões guerreiros, e os

duendes das profundezas já havia sessados.

Larry se transformou no guardião fiel de evolas, Peter por sua vez estava passando uma

temporada nos reinos dos Deuses perto de sua mãe, e de seu pai.

Peter estava com total controle de seus poderes, ele podia ir vir a qualquer hora do reino dos

Deuses para Evolas.

Neste tempo Larry conseguiu reunir tanto poder que podia estar em cada canto da floresta

onde os oprimidos precisassem de sua ajuda, suas transformações estavam mais rápida e

poderosa.

O mundo de evolas estava realmente em paz, Larry até arrumava um tempo para visitar a sua

Mãe humana em Winterhold.

Mais às vezes acontecia um desentendimento entre os duendes e os anões, afinal eles

dividiam a mesma floresta. Mais claro tinham sua diferenças, mais ali mesmo a desavença era

resolvida. Os duendes sabiam que a floresta tinha um protetor e seu nome era Larry.

Sua reputação se espalhou por todo reino Magico de evolas, Todos o respeitava até as

criaturas obscuras de evolas.

Maicon o pai de criação de Larry, ainda continuava ensinando seu filho de criação!

Larry Hoje com quase mil anos, e no reino da magia com 14 é quase um homem, seus poderes

se ampliaram de tal forma que ultrapassaram o de seu Pai, o dragão místico.

– Garoto, talvez esteja na hora de minha partida, estou fora de casa muitos anos, sua mãe

precisa de mim mais que você agora.

– Seu irmão Peter logo estará de volta para lhe ajudar nos deveres de Evolas.

– Eu intendo, logo estarei visitando vocês dois!

-Cuida da mamãe.

Pai e filho se despedem achando que demoraria a outro reencontro.

Logo após a despedida, um coelho maluco foi ao encontro de Larry dando as noticias do dia.

Seu nome era madeira, não se sabe o porquê do nome ou apelido, talvez seja pela a cor da sua

pelagem, madeira não era um coelho comum, como os das florestas de winterhold, madeira

era maior, e com presas semelhantes a dos tigres de sabre!

– Grande místico trago as noticias do dia, senhor Maicon como vai?

– Bem Obrigado.

– Diga madeira.

– Os animais de evolas estão falando de uma cratera estranha perto do covil dos duendes, E

dizem até que eles estão tramando alguma coisa chefe.

– Cratera?

– Oh sim chefe,e  muito grande em seu contorno tem uma espécie de fumaça.

– Acho melhor ir conferir meu Filho, vou prepara as coisas para viagem.

– Vamos madeira.

-Eu acho que os duendes estão por traz disso chefe.

-Vamos investigar, é logo após aquela rocha.

-Viu chefe eu disse que era grande.

– Oque querem aqui?

Essa voz veio de uma caverna, o dono dela era um duende  com suas características

inconfundíveis.

Olhos vermelhos, pele verde gosmenta, corcundas.

– Saiam daqui.

– Espere ai amigo, viemos investigar esta cratera!

– Cratera? oh, sim o buraco!

– Vamos trate logo de falar duende.

– Cuidado com suas palavras coelho!

– Chefe?

– Calma madeira, eu cuido disso.

– Sabe quem sou duende?

– se se sei sim, meu senhor.

– Então sabe oque posso fazer com sua carcaça nojenta e asquerosa não sabe?

– (Ingun) sei meu senhor.

– Agora responda oque significa esse buraco enorme em sua propriedade?

– Não sei meu senhor tem dias que esta cratera esta ai, anoite fico ouvindo uns ruídos

arrepiantes dentro dela.

–  Que tipo de ruídos?

– Não sei meu senhor, mais não é de nenhuma criatura viva, ou MORTA em evolas.

Larry ficou pensativo olhando para o buraco, imaginado que tipo de criatura estaria vivendo

ali.

De onde veio aquele buraco? Como ele surgiu?

– Ouça duende, mais ouça com atenção se eu ficar sabendo que vocês tem alguma coisa a ver

Com tudo isso irá caçar um por um de vocês esta ouvindo?

– juro meu senhor, estou dizendo a verdade.

– É espero que sim.

– (Rugidos) Já disse coelho cuidado, esta abusando da sorte.

– Quer dizer não é chefe?

– Vamos embora!

– Damos uma lição nele em chefe? Não foi?

– Oh sim foi, você foi impressionante meu amigo!

– Fui? Serio chefe, agora que você falou se o senhor não estivesse lá eu daria uma lição nele

chefe!

– Ei chefe, estou com fome. Oque vai ter de jantar hoje?

– Você! se não ficar calado.

– Certo, boca de zíper chefe.

– Garoto idiota quem ele pensa que é?

Mais tarde, nas proximidades da caverna do duende, sons estranhos começaram a sair de

dentro do buraco.

Curioso um dos habitantes da caverna foi verificar.

– Alguém ai? Olá?

Sua voz saia com dificuldade, isso era da natureza dos duendes mal podia se comunicar.

– Estou armado.

Ele começou a se aproximar mais, e mais.

– Olá? Aguem ai?

– SISSSS, SIM!

Com violência uma criatura agarra a garganta do duende, e o puxa para dentro do abismo.

Que tipo de criatura habita este buraco?

De onde ela veio?

Por vários dias Larry ficou pensando sobre aquele buraco, de onde ele surgiu.

– Chefe trago as noticia do dia, e elas não são boas.

– Fale.

– Apareceram animais mortos na floresta, nas proximidades dos duendes.

Larry sai correndo para o local onde havia animais mortos, Larry estava com um mau

pressentimento sobre  as mortes chegando no local, foi constatado que diversos animais

estavam no chão. Mais sem sinal de violência ou Luta.

– Mais oque esta acontecendo aqui!

– Toma cuidado.

O garoto joga uma pedra para testar a profundidade, logo ele constata que aquele buraco

misterioso não tem fim.

Um barulho seco começa a sair das profundezas do buraco, por segundos a floresta fica em

silêncio, Uma aranha Gigante salta de dentro do buraco, com o barulho Larry cai no chão, mais

se recompõem rápido e logo olha para vê a criatura.

A aranha não era de evolas, não tinha aquele tipo de animal na floresta, A aranha era

realmente grande. A criatura tinha duas vezes o tamanho de Larry, A imagem grotesca fez

Larry cair novamente no chão, talvez com o susto de vê uma aranha maior que ele mesmo.

A criatura não perde tempo, e tenta segurar Larry com suas presas enormes gotejando

veneno.

Larry se esquiva do ataque, mais acaba tropeçando em um galho de arvore no chão.

Atrás de um arbusto surge madeira gritando o nome de Larry, vindo trazer uma noticia

importante.

Mais quando o pequeno coelho se depara com a criatura, ele fica estático sem reação apenas

ali parado, aguardando sua possível morte.

A aranha olha para o coelho indefeso e lança um esguicho de veneno em direção ao pequeno

mostrando agilidade Larry passa por debaixo das muitas pernas da criatura e consegue salvar

madeira.

O veneno atinge em cheio  uma pedra fazendo – a derreter.

– Corre madeira.

– Não vou abandona-lo se você não me segura eu quase acabo com ela chefe.

– acabava sim, sem discutir corre madeiraaaaa!

O coelho corre para debaixo do vão de uma arvore estando assim protegido.

Larry olha para a criatura, e começa a correr em sua direção, por segundos o tempo para ao

redor de Larry.

Zafira surge em suas mãos, o garoto da um salto sobre a aranha cravando a espada sobre sua

cabeça.

A criatura geme, e acerta Larry que cai ao chão, sem perder tempo Larry corre em volta a

criatura, da outro salto pegando zafira.

Furiosa a criatura pula e cai sobre Larry.

Larry sai debaixo da aranha gigante e tira zafira que estava enterrada no peito da criatura.

– De onde saiu esse bicho chefe?

– De dentro do buraco, precisamos reunir os velhos sábios, preciso ir até os anões.

O Reino das trevas

O reino das trevas é governado por um mago cruel, que tempos atrás desejava  conquistar o

mundo, tanto os mundo de Evolas quanto o dos humanos, mais seus planos foram

interrompidos pelos Deuses.

não é normal os Deuses interferirem no que acontece nos reinos, seja místico ou não.

Mais o mago era visionário, seus planos iriam interferir no mundo  dos Céus.

O mago Negro como era conhecido foi o mais poderoso de todos os tempos!

Precisou a interferência dos Deuses para bani-lo.

Foi ai que a Deusa do fogo, e o Dragão místico de escamas vermelhas resolveram banir o

mago para um reino, sombrio, envolto de chamas e criaturas terríveis.

O mago anseia seu retorno para se vingar daqueles que o banirão para o mundo das

criaturas. Ele estava em silêncio

ATE AGORA!

Na Floresta dos anões guerreiros, Larry logo tratou de falar oque estava acontecendo para sky

o general dos anões.

– Larry meu grande amigo, como esta?

– E Peter voltou do reino dos Deuses?

– OI meu amigo. Não ele ainda permanecesse lá, mais venho falar de  outro assunto!

– Algo de muito estranha esta acontecendo nas proximidades dos Duendes.

– Duendes? Oque aqueles Nojentos andam fazendo?

– Ainda não sei é cedo para dizer, mas preciso de um favor  meu amigo.

Preciso reunir o conselho para uma reunião muito importante tenho pressentimento que algo

muito sério ira acontecer em evolas.

– Certo! Falarei com o rei telo.

No tardar da noite, todo o conselho dos anões estavam reunidos, e já é chegada a hora de

Larry dizer oque esta acontecendo na floresta.

– Como vai Larry você cresceu meu rapaz.

– Oque há de tão serio, para esta reunião?

– Se me permite rei telo, tenho algo muito importante para dizer aqui.

Creio que evolas corre perigo.

– Ou, Então comece meu rapaz sem mais perda de tempo, já que é tão importante.

– Senhores, Rei telo, Sky, conselheiros, magos.

A 3 dias atrás meu amigo madeira, como todos aqui conhecem me trás as noticias sobre o

reino.

– Acabamos encontrando um buraco de grande profundidade, e o pior disso tudo é que em

torno do buraco havia muitas criaturas da floresta mortas.

– Acabei enfrentando e matando um aracnídeo que provavelmente saiu deste buraco.

– Um Arac oque Larry?

– Aracnídeo!  Uma aranha.

– Ou sim. Prossiga.

– Só que esta aranha tinha proporções fora do normal, era gigante muito maior que eu e todos

reunidos aqui.

– Larry?

– Sim Rei Telo!

– Como era esta aranha? Você lembra-se de suas cores?

– Sim meu Rei, Ela era Preta com faixas amarelas.

– Amarelas?

– Sim meu Rei.

Todos os conselheiros começaram a sussurrar, aqueles sussurros enlouqueciam Larry.

– Oque eles estão dizendo Sky?

– Logo iremos saber.

– A profecia!

Disse um dos conselheiros.

– Que profecia?

– Deixe que eu me em carrego de explicar ao garoto.

– Ouça Larry, a muitos e muitos séculos atrás um grande sábio, que hoje não esta mais entre

nós. Revelou uma profecia que um reino Infernal iria tentar tomar evolas.

O rei das trevas é governado por um ser místico extremamente cruel.

Não sabemos muitas coisas a seu respeito.

– Mais Rei Telo, se estamos falando desta profecia, temos que fazer alguma coisa.

– Sim Larry! E não temos muito tempo, Em breve muita criatura vira para nosso mundo.

– Hackinnnn?

– Sim meu senhor!

– Tem alguma coisa para nós dizer?

– Sim mi lorde.

– A profecia já se inicia todos nós corremos perigo.

– Entendo!

– Sky, vá com Larry verificar a fundo este tal buraco, se for realmente  do reino das trevas

precisamos saber.

– Sim meu Rei, iremos verificar.

-Hackin tem mais alguma coisa que precisamos saber?

– Não meu rei. Por hora isso é tudo.

– Muito bem.

– Vão investigar o buraco sky.

Sky fez um sinal de positivo com a cabeça, todos os moradores da floresta dos anões estavam

apreensivos já que supostamente se tratava do reino das trevas.

Eles conheciam a profecia e sabia que as coisas não estavam nada bem!

Já próximos do território dos duendes, Sky avistou  um de seus inimigos declarados Jogado no

chão.

– Veja Larry este duende esta sem os ossos, apenas com sua pele.

– Oque poderia ter feito isso?

– Você disse que aquela aranha saiu deste buraco?

– Sim sky. Acabei tendo que mata-la.

Deixei seu corpo perto de uma caverna.

– vamos ver este corpo!

– Eu tinha deixado o corpo aqui.

– Será que os duendes não o pegaram?

– Talvez!

Enquanto nossos amigos conversavam um brilho estranho começava a sair de dentro do

buraco, quando não demora uma mão sinistra surge fora das profundezas.

Uma mão grande com espinhos.

Logo um Ogro Cinza de duas cabeças salta de dentro do buraco.

Um Ogro de duas cabeças não existe em evolas. A criatura tinha ossos humanos por todo o

corpo, havia ossos de animais e pessoas.

Este Ogro era diferente dos existentes em evolas, sua estatura era maior.

A besta começa a se aproximar de nossos heróis, quando sua respiração chama a atenção de

SKY.

Quando o “Pequeno guerreiro” se vira da de encontro com a besta que já estava prestes a

desferir um golpe contra a dupla.

– Larry cuidado.

Larry se esquiva do golpe se jogando para um canto.

Sky rola por debaixo da criatura sem ter problemas.

Mais a criatura enxerga o general dos anões, e lhe acerta um tapa que o faz pingar sobre o

solo.

Larry por sua vez salta sobre a criatura e acerta um chute em sua cabeça, deixando a criatura

zonza por alguns instantes.

Enquanto Larry pedia para que Sky se levantar a criatura aproveita a oportunidade para acerta

Larry em cheio com sua clava enorme com espinhos!

O corpo de Larry ficou cravado no chão.

Se ele fosse humano seu corpo poderia ter sido destroçado.

O ogro levanta a clava novamente para acerta outro golpe, Larry ainda no chão consegue

segurar o golpe da besta.

Com sua força sobrenatural desarma o ogro lançando a clava longe do seu dono.

Larry da uma rasteira na besta fazendo a criatura cair no chão.

– Larry pegue…

Sky lança seu machado para Larry, e sem pensar muito o garoto desfere um golpe no crânio do

ogro.

Trazendo enfim sua morte.

– Mais oque foi isso Larry? Esta criatura não é de evolas.

– Eu sei, ele deve ter saído daquele buraco.

– Não há mais duvidas é um portal para o reino das trevas.

A espreita havia um Duende que estava Ouvindo a conversa dos heróis.

Um Duende espiando? Porque a mando de quem?

Na fortaleza de Eridor, o vilão que até então estava esquecido por todos aqueles que um dia já

o temeram, estava aguardando notícias de seu fiel duende.

Após muitos anos, Eridor ainda tem influência sobre as criaturas.

– Mestre trago notícias sobre os humanos.

– Diga fiel criatura.

– Ouvi uma conversa de Larry e o guerreiro anão, que no meio da floresta surgiu um portal

para o reino das trevas.

– O Reino das trevas? Hum.

– Este reino estava perdido a muitos e muitos séculos.

– E o que mais?

– Larry fara uma reunião com os conselheiros dos anãos.

– Tudo indica chefe que de alguma maneira eles pretendem fechar o portal.

– Interessante.

– Pode se retirar você foi bem útil.

-Há, já ia me esquecendo de tomar café.

– NAAA, NÃO CHEFE. Mais você disse que fui útil.

– Sim!

– Mais o que posso fazer não é mesmo?

Com um movimento reto com sua enorme cabeça Eridor engole o duende de uma só vez.

– Agora os negócios.

– Falconnnnnnn.

Não demora muito surge Falcon um dos melhore espião de Eridor.

– Diga meu senhor.

– Preciso que vá a uma reunião.

– Reunião meu senhor? Não compreendo

– Larry e seus amiguinhos faram uma reunião para tentar fechar o mundo das trevas

– Não posso permitir isso, minha vingança está próxima Falcon.

–  Agora vá.

– Sim meu Rei.

Sem dificuldades a ave levanta voo e vai de encontro a reunião que não havia sido convidada.

– Senhores, estamos todos aqui reunidos mais uma vez, porque nosso mundo passa por perigo.

– É O Eridor Chefe?

Perguntou um anão em meio ao conselho.

– Não meu pequeno, aquele velho dragão nunca mais nós deu trabalho, mais temos que ficar

de olhos aberto. Bem possível que ele já saiba do portal.

– Tem toda razão idiota.

Sussurrou Falcon.

– Bem de toda forma, não é sobre Eridor que quero falar hoje aqui, neste conselho em nome

de Larry.

– Não vou mais fazer rodopios. O portal para o reino das trevas surgiu em nossa floresta.

– Mais isso é impossível meu rei.

– Impossível.

– Não pode ser.

– Estamos todos mortos.

– Acalmem-se senhores, fiquem todos quietos.

– A certa de Dois dias Larry enfrentou uma criatura vinda do portal e temos que ser rápidos

mais monstros possa vim. Temos que nos preparar.

– Ninguém ira sair de dentro da floresta.

– Esta permanentemente proibida às saídas a noite.

– Senhores sejam cautelosos.

– Quer dizer algo Larry?

– Quero sim meu rei.

Larry se aproximou do Rei telo, e disse em sussurros.

– Temos um visitante indesejado aqui meu senhor.

– Hum.

– Agora que você disse é verdade.

Larry lança um feche de raios em direção a uma arvores que acerta em cheio Falcon.

Todos do conselho ficam sem intender até verem o visitante que ali estava no chão.

– Mais é o falcão de Eridor. Aquele dragão desprezível está nos vigiando.

– Rápido agarre-o.

A tentativa de pegar Falcon foi sem sucesso. A ave era muito veloz.

– Temos que ser rápido, isso indica que Eridor já sabe sobre o portal.

– A pergunta é. Oque ele irá fazer com essa informação.

– Eles quase me pegaram.

– Tem novidades?

– Sim!

– Larry e os anões pretendem Fechar o portal, como o senhor previu meu rei.

– Preciso ser mais rápido.

– O senhor vai sair da caverna mestre?

– Sim, preciso visitar uma velha amiga.

Seu bater de asas movia do chão o menos dos pequenos da floresta.

Após três anos Eridor sair de dentro da caverna, mais agora com um novo proposito.

Trazer o reino das trevas para Evolas, mais o que a criatura não sabia é que o reino das trevas

já tinha um governante, um governante mais cruel e vil, do que ele.

– Sei que você está aqui minha querida, preciso de seus conselhos. Apareça.

Uma voz surge em meio uma floresta escura e com almas aparecendo como mágica.

E porque eu o ajudaria?

– Veja onde estou agora, aprisionada no meu próprio mundo.

– A vida não é uma piada? Eu mandava meus inimigos para este lugar agora eu que divido com

eles.

– Aquele Garoto ainda me pagará caro.

– Maldita seja a raça dos dragões, um dia irei sair daqui e vou banir todos vocês.

– Calma minha querida, venho lhe trazer boas notícias.

-Então diga QUERIDO!

– Mundo das trevas está de volta.

– Me diga uma novidade.

– Como você já sabia?

–  As notícias no mundo dos Mortos correm rápidas.

– E o que você pretende fazer?

– Eu quero trazer o reino das trevas para Evolas.

– Você não seria capaz.

– Ah, eu seria.

– Sua ambição é de mais até pra mim.

– Seu plano tem uma pequena falha.

– O reino das trevas já tem um governante.

– Sim! Havia me esquecido deste detalhe.

– Preciso de sua ajuda.

– Estou presa aqui. Não posso te ajudar, além do mais o que eu ganho com isso?

Sua liberdade e seus poderes de volta., bom uma pequena parte dele.

– Como você irá fazer isso. Ninguém tem poderes para ressuscitar os mortos.

– Não me subestime Bruxa, eu ainda sou o dragão mais poderoso de Evolas.

– O segundo Eridor. O segundo.

– O primeiro já sabe quem é.

– (Rugidossss) Cale-se Bruxa.

– Agora observe!

Eridor se aproxima de Constance e lança um bafo de chamas claras, porem forte o suficiente

para derrubar a bruxa.

– Mais o que é isso seu Idiota você quase me queima.

– É mesmo, então da próxima eu farei.

– Os mortos não podem morrer duas vezes dragão idiota.

– Cuidados com suas palavras bruxas.

– Agora toque-se.

– Tocar-me?

– Exatamente.

A bruxa então dá um cutucão em seu próprio braço!

– Eu estou livre? Eu estou livre.

– Há Há Há.

– De certa forma sim!

– O que quer dizer com isso? Não sou de carne novamente?

– Você está neste mundo, mais de forma temporária.

– Quando eu quiser te mando de volta.

– Uma forma que encontrei caso você me traia.

– Seu dragão desprezível.

– Cale-se Bruxa. Você está em minha mão, fara tudo o que eu pedir.

– Sim, por hora!

Enquanto Eridor se aliava mais uma vez com Constance, os conselhos dos anões decidiam uma

solução para o fechamento do portal.

-Larry tem alguma ideia de como fechamos este portal do inferno?

-Não meu rei.

-Sky?

-Também não mi lord.

-Posso tomar a palavra senhor dos anões?

-Fale conselheiro é pra isso que esta aqui.

-Rum Rum… Certamente meu rei, o portal para o reino das trevas  deve ser fechado de dentro

para fora meu rei.

 

-Isso muda tudo! Muito bom Fausto!

-Senhores este tal portal deve ser fechado por dentro. Precisamos de voluntários para a

missão.

-Eu irei meu rei, Evolas é minha responsabilidade.

-Bravo Larry.

-Mais alguém?

-Eu irei com o menino meu rei, afinal os protejo desde que colocaram os pés em nosso mundo.

-Não esperava menos de você Sky.

-Alguém mais?

-Eu também irei mi lord.

-Você Fausto, não posso arriscar seus poderes mágico e muito bom para a nossa segurança.

-certamente meu rei, mais serei mais útil ajudando o general sky.

-Oque achas Sky?

-A ajuda será bem vinda meu rei. Deixe-o que nos acompanhe.

-Eu também quero ir meu rei.

-De maneira nenhuma meu pequeno.

-ES muito jovem e inexperiente em batalha, não duraria 10 minutos no reino das trevas

-Não duraria 1 minuto majestade. HAHAHAHA

-Meia hora, meu senhor HAHAHAHA

-Silêncio.

-Você não ira Junior lamento.

Junior era um pequeno anão jovem, de expressões fortes e vivia com a cara amarrada, sua

pele tinha um Tom negro e olhos esverdeados.

E sim Junior era inexperiente, mais que em outrora já havia matado um Duende, mais isso não

o fazia um guerreiro completo.

Os anões eram conhecidos como formidáveis guerreiros, a batalha estava no sangue de Junior,

mas os residentes da vila apenas o via como um garoto que ainda simulava batalhas com sua

espada de madeira.

Mais voltamos à história mais pra frente falarei mais de Junior.

Nos domínios de Eridor o dragão pensava em modo de entrar no reino das trevas, já que o

portal que esta no meio da floresta de evolas é apenas uma saída.

-Vamos bruxa, preciso entrar no mundo das trevas deve haver um feitiço.

-Acalme-se preciso de silêncio para falar com os espíritos.

-runbono sidagã  izó  izó izó izó Arró-bo-bo íArró-bo-boí !

Palavras ditas pela a bruxa de forma sussurrada.

As escamas do dragão começaram a vibrar, fazendo o todo poderoso dragão tremer seus

olhos.

Quando finalmente os espíritos aparecem para Constance e Eridor.

-Diga oque deseja Rainha das trevas.

-Sua presença aqui espíritos é de estrema importância.

-Deixe de blá blá Bruxa faça a pergunta logo.

-Acalme-se dragão. Paciência é fundamental para o sucesso da conversa.

-Grande espírito já ouviu falar do mundo das trevas.

– SIM! LÁ É ONDE ESTAM APRISIONADAS AS PIORES CRIATURAS DAS 4 DIMENSÕES.

-Preciso que me diga uma maneira para passar esta dimensão e ir ao mundo das trevas

-ENTENDO!

-PRECISARA DE SUA VARINHA, E U FIO DE CABELO DE UM DEUS OU SEMIDEUS.

-Mais isso é impossível Grande espírito.

-SÓ UM DEUS TEM O DOM DE VIAJAR NO TEMPO E ESPAÇO.

– Minha varinha esta nas mãos do rei Telo. Aquele maldito anão.

-Mesmo que eu consiga minha varinha onde irei conseguir um fio de cabelo de um Deus.

-Sei onde podemos conseguir.

Disse Eridor com um olhar sombrio.

– Onde?

– Tenho meus truques bruxa, primeiro iremos recuperar sua varinha.

– Como iremos fazer tal feito?  Aquela floresta é infestada por anões, sem falar do garoto Larry

que a protege!

– Sim de fato, sabemos uma coisa que eles não sabem, o seu retorno. Irei deixa-la invisível aos

olhos de qualquer ser de evolas, mais durara por pouco tempo!

– Enquanto você se Infiltra na floresta, irei enviar alguns lacaios para distrai-los, terá que ser

rápida bruxa.

– Não é uma ideia tão ruim. Pode até dar certo!

– Esplendido.

– Já que concorda vamos colocar nosso plano em pratica, será mais fácil ao cair da noite!

– Larry Certa vez ouvir dizer, que os Deuses têm o Dom de se tele transportar para qualquer

dimensão, seja onde ela for. Será que seus filhos também tem este Dom?

Disse General sky, para o amigo em volta da fogueira, que ali queimava ao som da noite entre

um ou outro ruído de seres que habitavam a floresta. Mesmo ela sendo dos anões ali havia

criaturas terríveis que saiam para caça durante anoite!

– Bom, não sei sky. Na verdade sou um Semideus, já que vive minha vida toda na terra!

– Sim é verdade, mais corre em suas veias o sangue do grande dragão, e de sua mãe Hestia.

Tente se comunicar com eles filho! Talvez tenha respostas, tenho quase certeza que Eridor já

sabe um meio de entrar no mundo das trevas. Precisamos ser mais rápido.

– Tem razão sky preciso fazer alguma coisa, Peter esta lá encima talvez eu consiga contato com

ele!

-Tente meu rapaz!

– Larry olha para o céu estrelado de Evolas e pensa no irmão.

– Ei Peter, você esta ai? Responda irmão preciso de sua ajuda, todos nós precisamos, Evolas

corre perigo!

Um brilho surge em meio aquele imenso céu estrelado, uma estrela cadente!

– Veja Larry parece que deu certo.

– Não Sky era apenas uma estrela cadente!

– oh, sim! Verdade!

Em meio às cabanas suspensas sobre as arvores gigantescas, uma voz ecoava dizendo o nome

de Larry!

– Quem disse isso? Quem esta ai?

– Não se lembra da própria família meu Irmão?

Quando em um passe de magico Peter surge na frente do irmão e sky.

– Peter? Ei sky é o Peter! Veja, veja.

– Estou vendo meu rapaz, esta em ótima forma garoto Peter!

Peter estava mais alto que Larry, seus olhos estava com uma tonalidade diferente, estava

voltado para um vermelho intenso, seus cabelos estava maior alcançando as costas, uma

armadura tomava conta de seu corpo, um elmo com asas brancas estava sobre sua cabeça, seu

peitoral estava protegido por uma armadura detalhada com chamas vermelhas em suas costas

e uma capa vermelha que arrastava no chão quando os passos eram dados!

Uma espada repousava sobre suas costas, uma arma de aparência antiga, com detalhes em

ouro, e pequenas chamas salpicava de sua lamina!

– Você esta impressionante garoto Peter!

– Tenho treinado muito no outro mundo Sky.

Agora sou capitão do exercito da Deusa  Hestia!

– Nossa mãe, resolver criar um grupo de soldados de elite para combater aqueles que

ameaçam o mundo da magia e o mundo dos Deuses.

– Isso é incrível, porque não me disse nada sobre esse grupo?

– Ficou tanto tempo sem nós dar noticias!

– Estava em treinamento não podia ter contato com ninguém fora do mundo dos Deuses.

– ah, Intendo.

– Mais você me chamou? Diga oque esta acontecendo.

– Como chegou aqui tão rápido? Tele transporte posso ir onde quiser, quando quiser!

– Incrível, estávamos falando agora mesmo sobre isso não é Larry?

– Sim! Precisamos de sua ajuda irmão, você tem o Dom que precisamos!

Em outros tempos Peter ficava impressionado com tudo oque ouvia, ou via em evolas, parecia

uma criança de 5 anos. Hoje é Larry que este impressionado com o irmão mais novo

Aprendeu e conquistou, Peter era de longe aquele menino, hoje ele é um homem, e de

habilidades incríveis!

– Vamos ao assunto Peter- Disse Sky sem rodeios!

– Nosso mundo está sendo ameaçado  por criaturas de outra dimensão!

– De outra dimensão? Mais como assim?

– Tem um portal Peter no meio da floresta, este portal é o portão de saída do reino das trevas

– O reinos das trevas ? Já ouvi a mamãe falar desse reino, lá foi banido o pior mago da história

não é isso?

– Sim meu jovem! Rei telo falava muito deste mago para todos nós!

– Precisamos entra neste mundo e fechar o portal, mais o problema é que não sabemos como

entrar.

Você pode se tele transportar para este mundo Peter?

– hum, não sei bem ao certo, só posso viajar para lugares que já visitei, mais caso vocês

tiverem algum objeto deste mundo podemos pensar em algum meio de viajar até lá!

– Isso é impossível Peter ninguém aqui na floresta tem objetos do mundo das trevas

Talvez mamãe tenha algumas respostas!

Em um piscar de olhos Peter desaparece deixando apenas folhas que estavam no chão de

madeira!

– Mais para onde ele foi? Acho que voltou pro outro reino Sky. Vamos esperar ele voltar.

Após longas horas espera, Peter retorna com a resposta para Sky, e Larry!

– Voltei!

Peter mostra para os amigos um pedaço queimado de rocha

– Como uma pedra vai nos ajudar Peter?

– Esta é a chave para o mundo das trevas.

– Mais como? Onde você conseguiu essa pedra.

– Nossa mãe tinha ela guardou, lembra-se que ela foi uma das pessoas que baniu o grande

mago!

– Isso é Fantástico.

– Sky, vá avisar o Rei telo, já temos nossa chave para o reino das trevas!

– não precisa pedir novamente meu garoto!

Graças a ajuda de Peter, Larry tinha como ir até o reino das trevas mais oque eles não sabiam é

que a espreita estava falcon, a ave espião de Eridor.

– Meu REI.

– vá entrando meu amigo deixa de cerimonias  diga para oque veio.

– Claro meu rei, já temos um meio de ir até o reino das gtrevas, o garoto Peter veio nos ajudar

com tarefa tão difícil.

– isso é maravilhoso, não podemos perder tempo… Reúna alguns soldados, chame o mago

fausto preciso falar com ele.

– Sim meu rei.

Enquanto isso na colina onde vive o dragão Eridor!

– Meu Rei, Meu Rei, Meu Rei, Senhor Eridor.

– Oque é isso ave insolente, como ousa interromper minha reunião.

O dragão solta um bafo quente que queima partes das penas da ave.

– Desculpa meu amo, eu não sabia.

– Trago noticia importantes do lado da floresta!

– Vamos diga.

– O senhor não vai acreditar quem voltou.

– Desembuche.

– O garoto Peter meu rei.

– Peter?

– Aquele fedelho enfim retornou.

– Diga mais Falcon.

– Ele trouxe um pequeno pedaço de rocha com ele meu rei.

– uma rocha? Oque isso significa seu verme. Vamos continue…

– Fale de uma vez!

– Parece que esta pedra veio das profundezas meu amo!

– Isso é impossível onde aquele fedelho conseguiu tal artefato.

– Foi sua mãe que deu a ele meu rei.

– Claro. Afinal ela foi um dos deuses que baniu o mago.

– Esta pensando a mesma coisa que eu Bruxa?

– Sim! Preciso de chá revigorante.

– Seu inútil preciso por as mãos  naquela pedra.

– Me chamou Rei telo?

– Sim Fausto entre.

– Já temos um meio de entrar no reino agora mais do que nunca vou precisar de seus

conhecimentos nas artes da magia.

Quero que proteja a todo custo Larry e Peter, e claro nossos amigos da floresta.

– Sim meu rei, seu desejo é uma ordem. Farei oque me pede!

– mais, majestade como iremos a este mundo?

– O garoto Peter regressou e junto com ele esta a chave para o mundo das trevas precisamos

nós preparar para viajem e para a batalha meu amigo.

– Tem meu apoio majestade.

– Duuuuenndes.

– Sim meu rei, chamou.

– preparem todos os duendes vamos partir.

– para onde mi lord?

– Vamos a buscar uma coisa que em breve será meu.

– Você quis dizer nosso, não é Eridor?

– oh sim claro Bruxa. Nosso!

– É assim estavam todos reunidos em volta de uma grande arvore que parecia estar ali fazia

séculos, seus troncos eram enormes e fortes como rocha, porem seus frutos eram venenosos

viajantes famintos que não tinham conhecimento do fruto que era dado aquela arvores

acabavam tendo um fim lento e doloroso, o fruto era de uma cor vermelha semelhante a uma

maça, mas… Seu formato era como o de um retângulo.

– Senhores estão todos  reunidos aqui para a expedição ao reino das trevas , todos aqui tem

ciência de que nosso mundo sofre grande ameaça, somente  Peter, Larry, Fausto, e Sky.

Já temos um meio de viajar até o reino, devemos á Peter que veio para nós ajudar.

REI TELOOO!

– Quem ousa me interromper?

– É um anão meu rei, do alto da arvore, parece que ele quer nós contar alguma coisa.

– DUENDES E OGROS VINDOS EM DIREÇÃO A FLORESTA.

– Não pode ser como eles sabiam que iriamos partir.

– Todos se mexam, em seus lugares estamos sendo atacados.

As palavras do rei telo, soaram pesadas nos ouvidos dos anões fazendo todos irem em direção

a seus postos.

– VEJA MEU REI, É ERIDORRR.

– Não é possível.

– Deixe ele comigo Larry. Não Peter espere vamos ver primeiro oque eles querem.

– Quando você se tornou um diplomata? É Eridor esqueceu oque ele fez com agente?

– Vou lá da um pé na bunda daquele lagarto nojento.

– Acalme-se menino Peter  vamos oque eles pretendem.

– Como quiser REI TELO.

Não havia um ser vivo em evolas que não respeitava rei telo.

Mais á frentes irão ouvir algumas histórias deste magnifico anão guerreiro.

Sem muita cerimonias Eridor Pousa seu corpo imenso no topo de uma arvore.

– Hora, Hora… Oque temos aqui? “Uma pequena reunião familiar” Sem querer ofender com o

pequeno!

– Diga oque quer aqui Eridor?

– Você sabe muito bem meu amigo, EU QUERO ESSA PEDRA!

– Baixe o tom de voz dragão, você não esta em sua caverna, para o seu bem fale baixo quando

estiver se dirigindo a palavra ao REI TELO.

– Te faço em pedaços Anão cuidado.

– Quem te faz em pedaços sou eu Eridor. Ou será que já se esqueceu da surra que te dei.

– PURA SORTE GAROTO!

– Baixe o tom de voz, nós não vamos lhe dar a pedra esqueça.

– Bom se é assim.

Duendes MATEM TODOS NÃO POLPEM NINGUEM!

A voz do dragão soou até nos mais altos picos de Evolas.

– Deixe comigo irmão.

Peter sai na frente com as mãos limpas e aguarda os duendes virem em sua direção.

O primeiro desferiu um golpe de machado sobre Peter que desvia do golpe sem problema.

O segundo golpe foi na diagonal na altura do peito de Peter, e mais uma vez o garoto desvia,

desvia como se fosse uma mosca o incomodando.

De traz de uma arvores um ogro surge e resolve se juntar ao duende para acertar Peter

Com uma clava enorme o ogro tenta acertar Peter de toda forma, mais ele consegue se desviar

de todos.

Mais com um pequeno descuido o duende acerta uma faca na perna de Peter, Peter olha para

o ferimento sorri para o Duende e Diz – Chega de brincadeiras.

Peter desferiu um chute no estomago do duende que o faz partir em dois.

O ogro por sua vez agarra Peter pela sua cabeça e tenta lançar em direção ao chão, Peter

segura o pulso do besta e começa a esmagar como se fosse um papel, O ogro deixa Peter cair

no chão e começa a urrar de dor. no chão sofrendo de dor, Peter Conjura sua espada GAIA e

acaba com a dor do ogro. GAIA é enterrada no peito da fera dando assim o se fim.

– Vamos garoto Larry, acabe com essas corjas.

Essas palavras vieram de um guerreiro experiente chamado SKY.

Sky deixava qualquer inimigo no chão, sky manejava seu machado muito bem, dificilmente o

guerreiro anão caia sobre uma batalha.

O nosso pequeno herói estava travando uma feroz batalha com o general dos duendes, a

batalha era difícil já que os dois tinham grandes habilidades.

– Acha que pode comigo anão?

– não acho meu amigo tenho certeza.

SKY lança seu machado em direção ao duende, mas a fera desvia com facilidade, os dois

começam uma luta corpo a corpo, o duende acerta um Jobs de direita no anão que o faz

balançar… SKY acerta uma rasteira no duende, e rola em direção ao seu machado um golpe

feroz e lançado em direção ao general duende, mas… Ele tira uma pequena faca das botas e

bloqueia o ataque, o duende acerta um chute no estomago de SKY fazendo o anão colidir com

uma arvore.

– Isso é tudo que tem duende?

– Minha mãe luta melhor.

Os olhos do duende vibraram uma cor avermelhada, ensandecido  a criatura corre em direção

a SKY.

– AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHH… VOU ACABAR COM VOCÊ SEU VERME.

O duende corre desesperadamente empunhando sua pequena faca, mas muito letal…

SKY permaneceu parado em lugar aguardando a colisão que era inevitável, quando muito

próximo de SKY o duende se prepara para dar seu golpe, faltado poucos segundos SKY se lança

para outra direção fazendo o duende colidir direto a um galho de arvore que ali estava, dando

um fim violento a  vida do general duende.

Seu sangue da cor verde começou a gotejar no chão matando um pequeno ramo de flores que

estava no chão.

– Rum, seu RATO.

General SKY sai vitorioso!

Alguns duendes viram a morte de seu mestre, um pequeno grupo de duendes  foram  em

direção de SKY.

Os duendes fizeram uma roda em volta de SKY, todos estavam furiosos pela a morte de seu

general.

– Vai pagar pelo oque fez anão.

– Podem vim seus abutres.

– Você não esta sozinho nesta batalha meu amigo.

Larry surge de traz de uma arvore, e ao seu lado estava madeira, seu leal companheiro.

– Vamos pegar eles chefe.

Madeira começou a desferir golpes no ar, simulando uma briga com os duendes.

Madeira era uma lebre, mais não uma lebre comum uma lebre que possuía pequenos chifres,

seu porte era um pouco maior que um coelho normal da floresta.

– Calma… Fique perto de mim.

– Tem certeza chefe? Posso acabar com todos eles.

BAM-BAM-BAM.

Job job job .

Viu chefe?

– Tenho certeza meu amigo. Se eu precisar te chamo.

– OK chefe.

– Querem parar com essa discursão em família. Temos um pequeno problema aqui.

– SKY vá ajudar o Rei telo.

– Duendes eu serei seu adversário.

Os duendes olharam entre si, todos sabiam da fama do grande Larry, não havia um ser em

evolas que não o respeitava!

– Rei Telo derruba 1,2,3,4 com seu gigantesco martelo de batalha.

– se atrevem a me atacar? Suas criaturas desprezíveis.

Rei Telo explode seu martelo no chão causando uma grande onda de terra em direção aos

duendes deixando-os no chão.

-Eridor observa a pequena batalha decima aguardando o momento mais propicio para sua

entrada!

Larry ainda aguardava o ataque dos duendes, e madeira finalmente entendeu que deveria ir

para um lugar seguro.

Um dos duendes toma a dianteira e decidi atacar Larry!

A luta não era lá muito justa, mais o duende tinha coragem já que os outros não tomam

coragem ele foi.

Os outros ficaram fazendo um som estanho com a boca.

acho que eles estavam encorajando o irmão de batalha.

Madeira observa ansioso atrás de um arbusto, aguardando o chamado de seu mestre.

Claro que Larry não iria chama-lo mais ele se sentia parte do grupo …

madeira tinha sangue de guerreiro. Quem sabe eu não conte sua historia nos próximos

capítulos.

Por hora vamos continuar com a batalha.

O duende assumiu sua posição de batalha e desembaia sua espada de corte ondulado… Não

era uma espada admirável mais fazia um bom estrago.

Movimento em círculos era a sua tática, seu escudo feito com ossos de animais o protegia dos

golpes mais poderosos.

A besta se aproxima de Larry e desferi um golpe veloz, mas Larry desvia sem muita dificuldade.

Para encorajar o amigo, os duendes começam a bater com suas armas nos escudos..

O duende tenta outra investida rodando sua espada em círculos. Mais Larry novamente desvia.

– Isso ai chefeeeeeeee!

Grita madeira do ouro lado.

– Não saia madeira.

Larry se descuidou de seu inimigo e acabou tomando um corte na barriga.

Não foi um corte tão profundo, mas fez Larry soltar um gemido de dor.

– chega de brincadeiras.

Larry faz um movimento com os pés e surge atrás do duende.

Com um único soco acertado nas costas do duende a besta é lançada floresta  á dentro.

A cena fez todos os duendes irem em direção de Larry.

Eram cerca de 7 dúzias ou mais de duendes.

Enfim Larry conjura sua espada zafira.

O garoto queria acabar logo com a batalha para ajudar seu irmão com Eridor.

Zafira surge nas mãos de Larry, toda reluzente. A espada era magnifica.

Era uma espada grande de 1 mão.

Larry a enterra no chão, e de repente colunas de chamas brotam do chão todos duendes

morrem carbonizado …

O calor era tão intenso que os duendes viraram estatuas.

Madeira grita novamente do outro elogiando seu chefe.

– Urrull magnifico chefe você mostrou pra eles quem manda.

A pequena lebre sai dos arbustos passa por uma estatua e a chuta. Mais nosso pequeno

guerreiro acaba se machucando com a pancada…

– Você não existe madeira.

Apesar da situação Larry conseguia sorrir.

Um urro de proporção gigantesca ecoou mais a frente da floresta.

Larry olha para Peter, e Sky olha para Eridor.

O dragão estava no alto da floresta envolta de um brilho negro que cobria toda estrutura de

seu corpo… Impossibilitando nossos guerreiros de verem oque estava acontecendo.

– A besta sofre mais uma transformação.

Palavras ditas pelo Rei Telo!

-Como assim mais uma meu rei?

-A 500 anos atrás Eridor teve uma transformação, a besta era apenas um dragão cheio de vida

que exalava o puro poder. Essa transformação o transformou oque ele é hoje.

temo para oque possa estar por vim.

No alto da floresta Eridor grita sucessivamente.

A palavra-Poder-

Isso faz com que Larry,Peter,Sky,Rei telo e os demais  fiquem em estado de alerta.

– Veja meu rei. Ele parece estar consciente…

-Sim de fato esta.

-HAAAAAAAAÁAAAAAAAAAAA

TEMÃO O MEU PODER SEUS VERMES.

do alto das arvores mais altas de Evolas, Eridor mostrava sua nova transformação.

Seu corpo gigantesco de dragão deu lugar a um corpo de proporções bem menores. O dragão

que media mais de 20 metros de altura, agora tinha apenas 4. O dragão agora era bipedia.

podia caminhar entre os homens.

Todo seu corpo estava coberto de uma fumaça negra e tensa.

Sua cabeça continuava sendo a de um dragão seu chifres enormes de puro osso. Agora

estavam menores!

O dragão possuía um corpo perfeito. Forte cheio de músculos.

Sua calda era coberta de espinhos afiados e cheios de veneno.

Suas escamas deixaram o tom vermelho e assumiram o negro.

Seus olhos eram vermelhos… e cheios de ódio.

A fera olhou para baixo e deixou escapar um sorriso sarcástico e sombrio.

Eridor desce vagorosamente

E repousa próximo de Larry e Peter.

Era visível a diferença de tamanho e poder entre Eridor e os irmãos.

– Essa sua nova aparência não nos assusta dragão.

SKy lança seu machado de batalha em direção de Eridor.

O dragão permanece imóvel enquanto o machado vai em direção de seu peito.

A grande arma acerta em cheio o peito de Eridor mais acaba ricocheteando …

E acerta uma arvore que esta ao seu lado.

– Acha que pode me deter com esse brinquedinho anão?

Sky enche seus olhos de fúria e sai correndo enfurecido o anão salta em direção do Dragão.

Mais no momento do salto Eridor desferi um tapa que afunda o anão no solo!

– Peter sai correndo  para socorrer o amigo mais era tarde de mais.

O general sky estava morto.

Peter conjura sua espada e vai ao encontro do dragão.

O menino que em outrora era pequeno e franzino havia se transformado em um jovem com

poderes inimagináveis.

Com sua espada Gaia nas mãos Peter faz um juramento para vingar a morte do General mais

querido entre os anões.

– Anão medíocre achava que podia me ferir. Sou Eridor senhor dos Dragões.

-Senhor dos dragões?

Não posso concordar com essa afirmação dragão. Hoje aqui tem um guerreiro mais poderoso

que você.

– Oque esta dizendo anão.

seria você? O rei dos anões.

– Sou invencível… Sou o guerreiro mais poderoso de todas as dimensões!

– Pagaras caro dragão pela a morte de meu general.

– olhe bem dragão não esta percebendo nada diferente nos garotos?

Peter vestia uma armadura completa de puro ouro. Sua espada Gaia era uma espada

formidável de 2 mão.

Eu sua outra mão um escudo com o símbolo da Deusa do fogo repousava em sua mão.

O corpo do garoto estava envolto de um brilho vermelho. Sua pele estava coberta de escamas

vermelhas, seus olhos estavam maiores e negros.

O garoto parecia um guerreiro enviado dos Deuses.

Era admirável sua postura de guerreiro, e convicto que a batalha teria um fim ali mesmo!

Peter era puro ódio.

A tempos atrás o garoto já havia perdido zhao o grande tigre branco.

– acalme-se Peter. Você não pode perder o controle!

– PERDER CONTROLE?

-ELE MATOU ZHAO E AGORA MATOU SKY. PRA MIM CHEGA…

ISSO ACABA AQUI. HOJE E AGORA…

-Se você acha que pode venha garoto, a tempos espero por isso. Irei liquidar todos vocês.

A voz de Peter também havia modificado.

Ele parecia possuído…

O Garoto assustou até madeira, que era uma lebre de pura coragem.

– Não caia na pilha dele Peter, também estou louco por vingança mais as coisas não vão se

resolver assim…

Temos que fechar o portal para o reino…

CHEGA…

-Peter da um chute em Larry e faz com que o corpo do garoto bata violentamente em uma

arvore.

Larry levanta como se nada tivesse acontecido…

E pede mais uma vês para Peter se acalmar.

– CALE A BOCAAAAAAAAAAA LARRY!

O garoto explode! A Energia que estava envolta do corpo de Peter se expandiu derrubando

arvores, e movendo rochas do chão. Os anões que estavam em voltado de Peter acabaram

caindo no chão com a força do impacto, Larry, e Rei Telo se jogaram no chão protegendo a

cabeça.

Eridor ficou no mesmo lugar imóvel.

– De onde vem tanta energia? O poder deste garoto é formidável…

(COM A QUEDA DOS SEMIDEUSES VOCÊ SE TORNARA INVENSIVEL)

– Sim! Essas foram às palavras da Bruxa.

Por hora devo me retirar já possuo a pedra pra ir ao reino das trevas, Constance já deve ter

pegado sua varinha para o feitiço.

Eridor levanta Voo, e sai da zona de batalha.

– Onde você pensa que vai dragão?

Quando Eridor estava acima das arvores Peter surge em sua frente.

– Saia da minha frente garoto.

– Terá que passar por mim!

– Que assim seja fedelho.

Eridor lança uma Bola de fogo que sai do fundo de sua garganta. Peter apenas desvia do

ataque.

Empunhando sua espada Gaia, Peter vai em direção de Eridor e Desferi um corte horizontal

mais Eridor bloqueia com as palmas de suas mãos. Sem muita perde tempo Peter acerta um

chute nas costelas do dragão e o Lança no solo.

Eridor se levanta com um pouco de dificuldade e olha para o Céu a procura de Peter.

– Esta me procurando?

Peter acerta um corte na calda do dragão que a faz cair.

– MINHA CALDAAAA.

– como ousa?

Com um movimento rápido o Dragão abraça Peter tentando quebrar seus ossos. Mais a

tentativa falhou. Peter que ainda permanecia com Gaia empunhada consegue cortar um dos

braços de Eridor.

– MEU BRAÇO.

– O próximo a ser cortado será você dragão.

Peter levanta sua espada para dar o ultimo corte, Eridor consegue acertar o estomago de Peter

com sua cabeça cravejada de Espinhos. O garoto cai no chão mais logo se levanta. Quando

Peter da por si Eridor estava ao lado de Constance  segurando seus membros cortados e

sangrando muito.

Os caídos com o impacto que da Energia que Peter lançou começaram a se levantar e

procurando por Eridor, e Peter.

Larry olha Peter segurando Gaia, e Eridor com seu Braço e Calda nas mãos.

– Oque aconteceu aqui?

-Rei, acorde…

– Por quanto tempo ficamos desacordados garoto?

– Não sei. Mais… Aconteceu uma batalha e Peter parece ter sido vitorioso olhe…

– O Dragão esta sem um Braço.

– E sem a calda também Rei.

– Sim de fato garoto.

– Constance!

-Ela não estava morta?

-Sim! Eu mesmo havia matado.

– Constance se juntou novamente com esta escoria! Vocês são desprezíveis.

– Veja como fala garoto.

– A batalha acabou Eridor. Eu venci.

– Não! Eu venci.

Eridor mostra a todos a pedra vinda do reino das trevas

– A bruxa deve ter pegado enquanto estávamos em batalha, tudo não passou de uma

armadilha…

– É o fim para todos nós.

– Sim! Eu venci a pedra é minha.

– NÃO.

– Oh sim! Fedelho… Apesar dos pesares eu consegue oque vim buscar.

– Pagara caro por isso garoto.

Eridor levanta seus braços cortado por Gaia.

Larry, Peter, Rei Telo, Correm em direção para deter Eridor. Mais era tarde de mais Constance

tratou logo de tira-los do campo de batalha.

– E agora? Oque iremos fazer Meu rei?

– Não sei Falcon.

– Devo retornar aos Céus para falar com os Deuses.

– Mamãe deve saber oque fazer.

– Lutou bravamente menino Peter.

– Não Rei. Deixei Eridor escapar… Ele conseguiu mais uma vez.

– Não desanime garoto, Pois perdemos a batalha não a guerra. Acharemos uma solução.

O Funeral do General Sky

Em meio a arvores gigantes que habitavam Evolas, estava Larry sentado em uma pedra,

pensando nos acontecimentos na batalha.

o tempo estava chuvoso, mais o garoto parecia no se importar com o frio e água que batia

ferozmente em suas costas.

As palavras de Peter batiam como uma navalha em sua alma.

– Deveria ter evitado a morte de Sky, porque fui tão fraco!

– Peter tem razão sou um fraco, que pensa muito…

– Não se martilhe chefe.

Madeira surge de traz de um arbusto. Com os olhos tristes pela a morte de Sky, a Pequena

lebre também ficava má por seu melhor amigo estar naquele estado.

– Chefe?

– Ah, é você madeira.

– Não fica assim chefe, Rei telo esta chamado todos para o funeral de Sky.

Larry nada respondeu, e continuou… Olhando para o chão.

– Ei chefe, que tal você me dar um chute na bunda an, an, an? Isso sem duvidas ira lhe alegrar

um pouco.

Larry se levanta da pedra onde estava sentado, e madeira por sua vez empinou sua bunda,

esperando Larry dar um bom chute.

Madeira olha para Larry, com um olhar triste,

– Achei que fosse dar certo.

– Vamos madeira, temos que ir á um funeral.

– Certo chefe!

Em quanto isso, todos estavam reunidos em meio á uma cama feita de tronco de arvores,

onde repousava o corpo de Sky.

O cenário era fúnebre, ainda chovia muito em Evolas, alguns diziam que o Deus PAN esta triste

com a morte de Sky.

Sky era temido pelos inimigos, e amado pelos amigos.

Ao lado dos  troncos, Rei telo repousava suas mãos no rosto do amigo, aquele foi o único dia

em que os anões viram o grande Rei derramando lagrimas.

Bom, não se sabe ao certo, se eram lagrimas ou gotas da chuva que escorria por suas

sombram- celhas, mas, era certo que o grande rei estava profundamente triste.

– Descanse em paz meu amigo.

– EVOLAS PERDEU UM GRANDE GUERREIRO MEU AMIGOS.

As palavras do rei ecoaram por todos o bosque, todos os seres vivos já sabiam da morte do

grande sky, grande guerreiro de evolas.

Larry, madeira, e Peter foram se despedir de seu primeiro amigo em evolas.

– Me lembro da primeira vez que vimos SKY, éramos apenas crianças, sim Larry.

– Ei, Larry lembra que ele nós atacou primeiro, e depois nós perguntou oque estávamos

fazendo?

– Lembro Peter!

Todos anões deram risadas, falando bem baixinho “típico do general sky”

– Larry pega as mãos do amigo, e diz carinhosamente.

– Descanse em paz velho amigo.

– Descanse em Paz.

– Descanse em Paz Sky.

– Sua morte não será em vão velho amigo…

E assim foi a despedida do maior herói de Evolas, GENERAL SKY.

Temos que dar um jeito de recuperar aquela pedra, e entrar no reino.

– Ei chefe porque não invadimos o castelo daquele desprezível dragão?

– Não madeira há esta hora ele já deve ter partido para o reino das trevas.

– Será menino Larry? Eridor é meticuloso, ele ira planejar muito bem a invasão ao reino. O

feiticeiro que habita o reino é terrivelmente poderoso.

– Voto em invadir a fortaleza, e pegar aquela pedra de volta já que é o único jeito de entrar

neste reino.

Fortaleza de Eridor

– Tudo pronto para a invasão ao mundo das trevas meu REI.

– Muito bom escravo! Peça que chamem a bruxa.

– Sim meu rei.

– Vá criatura oque esta fazendo parado ai?

– Gostaria de fazer uma pergunta ao mestre.

– Ah, uma pergunta?

– Se eu não gostar de tal pergunta, sua nova morada sera em meu estomago estamos

intendido?

– Si Si Sim… Meu REI.

– Vamos diga…

– O senhor não esta preocupado dos habitantes da floresta virem pegar a pedra de volta?

– Eles não teriam coragem. Teriam?

Eridor ficou pensativo com a possibilidade de seus inimigos tentarem recuperar a pedra.

– Mandou me chamar vossa majestade… Sem bajulações bruxa.

– Acha que aqueles insolentes tentariam recuperar a pedra de volta?

– Só se eles forem loucos de invadir sua caverna meu Rei.

– De todo modo…

– Falcon, Fique de olhos nos Anões. Aqueles vermes podem esta aprontando alguma.

– Constance, esta pronta para o mundo das trevas?

– Sim meu REI, vamos tomar aquele mundo do Mago…

– Muito bem… Vou me ausentar por alguns instantes… Conto com a sua ajuda…

– Ou, estou pronta Sim. Dragão… Pronta para dar fim a sua vida!

Constance planejava Alguma coisa contra Eridor.

Floresta dos Duendes.

Amigos, e companheiros de batalha…

Reuni esta assembleia, para decidirmos se vamos, ou não invadir a fortaleza de Eridor.

– Com todo respeito meu REI, voto por invadir a fortaleza, vejo que não á nenhum outro meio

de fechar o portal do mundo das trevas!

– Sim Fausto de fato não há…

– QUEM VOTA POR INVADIR A FORTALEZA DE ERIDOR?!

O povo todo da floresta urrou, gritavam por SIM.

– Hackim se aproximou dos ouvidos do REI TELO, e sussurrou…

– Temos companhia majestade.

– O Rei acenou com a cabeça mostrando um sinal de positivo.

Do outro lado da floresta, Faucon, observava atentamente para reportar a Eridor.

– Menino Larry.

– Sim REI TELO! Acho que sabe oque fazer…

Larry se levanta da fogueira que estava em volta… Da um salto para o Ar, e se transforma em

um grande e enorme dragão de escamas vermelhas…

– Drogas me descobriram…

Larry e Faucon iniciam uma perseguição frenética… Enquanto Faucon luta para conseguir

escapar, Larry voa o mais rápido possível para conseguir capturar a Ave.

Faucon faz rasantes sobre o solo, passa sobre frestas de rochas, porque seu tamanho exige,

Já Eridor passa levando tudo oque tem em sua frente.

A Ave mergulha em um lago, e Eridor fica sobrevoando os céus aguardando… A Ave sair…

-Vamos Apareça.

Eridor lança bolas de fogo contra o lago na tentativa de Faucon sair.

– VAMOS SAIA…

Como um raio que surge do solo, Faucon sai do lago com muita velocidade…

-Larry quase não consegue acompanhar, O dragão respira fundo, se concentra e lança uma

pequena bola de fogo contra a Ave.

– Tiro certeiro!

– Faucon cai desacordado sobre o chão…

Larry desce ate o solo e assume sua forma humana.

– Não é tão veloz agora.

-acalmem-se senhores vamos aguardar o retorno do menino Larry.

O que aconteceu majestade? Porque Larry saiu daquele jeito?

– Aguarde garoto Junior… Em breve ter suas respostas.

Não demora muito, Larry regressa com a Ave em suas mãos…

– Vejam é a Ave espiã de Eridor.

– Sim, ele estava nos vigiando, e iria nos delatar para Eridor.

– Junior, prenda o.

– Sim meu REI.

– Larry, prepare um pequeno grupo para a invasão.

Temos uma vantagem, o elemento surpresa, Eridor não sabe que iremos invadir sua fortaleza.

– Meu rei se me permite…

– Fale Fausto. Tem a palavra.

– Na batalha contra a fera, perdemos muitos companheiros… Creio que devemos ser discretos

na invasão…

– Hum, de fato. Perdemos muitos combatentes.

– Larry?

– Sim REI TELO.

– Oque acha da proposta de Fausto?

– Creio que seja prudente majestade… Vamos usar o elemento surpresa… Não precisamos usar

fogo.

– Estou de acordo.

– Larry, você ira liderar a invasão… Leve mais 3 guerreiros com você.

O REI se retira e vai em direção a barraca onde a ave Faucon estava sendo mantida.

– Acorde Ave insolente como ouse nos espionar, e por ordem daquele dragão desprezível…

Faucon aos poucos começa a abrir seus grandes e penetrantes olhos amarelos.

– Ow, é uma honra majestade, o garoto Larry me pegou de jeito não foi.

– Merecestes ave.

– De certo que sim. Só estava seguindo ordens.

– de hoje em diante trabalharas pra mim ave.

– e se eu me recusar?

– Bom, terei uma conversa com o menino Larry para que o faça de almoço,

– Suas ameaças não me metem medo REI TELO.

– COMO OUSA ME DESAFIAR?

O rei bate com seu enorme martelo no chão fazendo estremecer todo o solo.

O rei abre a gaiola toma a ave sobre suas mãos, e começa aparta-la- VOCÊ NÃO DEVE NADA

AO DRAGÃO AVE.

– Nem ao senhor majestade. Sou uma ave livre…

– Não é mais. Passara o resto de sua vida nesta gaiola… Se alimentando de ratos mortos.

– Não Meu REI, vamos conversar.

REI TELO da cabana furioso.

– Será que ele vai aceitar meu REI? Ele pode nos trair a qualquer momento.

– Tenho uma coisa que ele quer mais do nunca neste momento soldado.

– Oque seria majestade?

– SUA LIBERDADE…

– Enquanto isso Larry, escolhia os 3 soldados para adentrar na fortaleza de Eridor.

Não era exatamente uma fortaleza… Mais sim! Uma montanha enorme com um vulcão que a

qualquer momento poderia entrar em erupção

Todos sabiam onde ficava o covil do dragão.

– ANÕES DA FLORESTA, POR DIVERSAS VEZES TIVE O PRAZES DE LUTAR AO LADO DE VOCÊS NA

BATALHA…

COMO TODOS SABEM, O DRAGÃO INTITULADO COMO ERIDOR, SE APOSSOU DA ÚNICA CHAVE

PARA O MUNDO DAS TREVAS, ONDE DEVEMOS FECHAR ESTE PORTAL… PARA SALVARMOS

NOSSO MUNDO!

PRECISO DE TRES VOLUNTARIOS PARA ESTA MISSÃO…

QUEM AQUI SE PRONTIFICA EM IR COMIGO ATE O COVIL DO DRAGÃO.

Os anões olharam entre si, na espera de alguém se prontificar em ir…

Lá do fundo surge uma voz.

– CONTE COMIGO SENHOR.

– COMIGO TAMBÉM

– COMIGO TAMBÉM SENHOR.

– E COMIGO

– EU VOU…

– CONTE COMIGO GENERAL

– GENERAL LARRY, CONTE COMIGO…

– GENERAL

– GENERAL

– GENERALLLL

– GENERALLLLL

– GENERALLLLL

– GENERALLLLL

Todos anões presentes começaram a ovacionar Larry.

Claro! Larry era muito bem visto por todos os anões, lutou bravamente em muitas batalhas.

-será um prazer segui-lo Meu senhor.

Por eras o general dos anões sempre foi um anão. Nunca um “meio humano”, ou melhor, um

dragão.

Pela a pequena janela do alto de uma arvore, REI TELO olha para Larry com um olhar de

respeito… São poucas as pessoas que o REI respeitava e Larry era uma delas.

Na cabana do REI, um soldado entra desesperado gritando MEU REI,MEU REI QUEREM FALAR

COM O SENHOR.

– Acalma-se rapaz. Quem quer falar comigo?

– A ave.

-hum, isso será interessante.

O REI caminha tranquilamente em direção a cabana onde Fauco estava aprisionado…

– Oque tem dizer Ave.

– O senhor venceu.

– Venci? Não compreendo.

– Serei seus olhos, e ouvidos por toda EVOLAS.

– E oque o fez mudar de ideia?

– Não aguento mais ficar preso aqui meu senhor.

– De certo que não! Afinal você é um gavião, a ave mais letal de Evolas.

– Agradeço pelo elogio majestade.

O REI abriu a pequena porta de madeira, da gaiola para Faucon sair.

Desconfiada, a ave põem apenas a cabeça para a fora da gaiola.

– Vamos, saia…

– O que o faz pensar que eu não possa voar para bem longe daqui?

O REI deu as costas para ave, e disse

– Se deseja ir então vá.

Faucon sai da gaiola, olha para o REI.

Bate as asas e pousa sobre os ombros do REI.

– sabe escolha Faucon.

– Serei seus olhos e ouvidos MEU REI.

– Isso muito me agrada.

– Vamos, ainda precisamos recuperar um objeto.

Mundo dos Deuses

– Seu irmão vai muito bem com os anãos querido.

– Sim mamãe, todos confiam cegamente em Larry.

Hestia era a Deusa do Lar, e da família, e detestava guerras, sua natureza era o fogo, seus

cabelos eram da cor do fogo, seus olhos eram vermelhos, seu corpo era envolto por uma

chama viva, dançava ao vai e vem dos ventos. Era uma chama viva intensa, que parecia ter

vida própria.

– Isso é bom Peter, vejo que seu irmão pensa em invadir a fortaleza do dragão… Aquela pedra

é a única chave para o mundo das trevas!

Hestia olhava do alto do seu trono fixamente para o mundo de evolas, ela parecia ver tudo

oque estava acontecendo…

Peter por outro lado, não possuía ainda tal Dom.

– Evolas corre perigo querido…

Uma criatura sombria caminha em evolas, o portal precisa ser fechado de qualquer maneira!

Precisa ser feito de qualquer maneira, o REI que governo o mundo das trevas ainda não tem

conhecimento deste portal, se ele descobri será o fim de tudo.

– Mais você pode dete-lo não pode?

– Temo que não meu Filho.

– E enquanto ao dragão que deu a vida a ERIDOR?

– Meu PAI.

Há tempos que ele não aparece, O grande dragão vermelho se isolou de tudo.

Não sabemos onde encontra-lo.

Hestia tinha uma expressão preocupante, temendo acima de tudo o fim de evolas, o berço do

mundo da magia.

Seus olhos grandes e vermelhos viam tudo.

– A senhora acha que os anões irão dar conta, desta criatura?

– Temo por eles meu filho!

– Preciso fazer alguma coisa não posso ficar parado aqui.

– NÃO!

A Deusa olhou para Peter com seus enormes olhos em chamas, e sussurrou para o garoto.

– Ele já sabe.

Peter arregalou os olhos, já sabendo do que se tratava.

– Me mostre mamãe.

A Deusa repousa a palma da mão sobre os olhos do garoto e transmite a imagem para Peter.

O garoto vê um terreno todo em chamas repletas por esqueletos empunhando espadas,

escudos, e cavalos, os animais tinham em falta carne em seus corpos, grande parte era apenas

ossos…

Havia, gigantes esqueléticos, e outros com pouca carne no corpo.

Perto dessas criaturas, havia também um tigre imenso… E ao seu lado um ser Magro, barba

longa e olhos negros, seus olhos eram puro ódio.

Seu corpo era extenso com pelo menos 3 metros de altura, em sua mão descansava um cajado

de madeira com acabamento feito de ossos.

O ambiente onde todas essas criaturas estavam era um ambiente sombrio havia fogo por toda

a parte.

Este era o local onde o mago mais poderoso de evolas repousava ali ele passava a eternidade,

onde foi banido pelos Deuses por dentar conquistar tudo oque era vivo em todo mundo…

O garoto Peter parecia não acreditar no que estava vendo… O espirito do garoto parecia estar

presente ali naquele lugar… Mais ninguém podia vê-lo.

Isso era oque o garoto pensava…

O mago se levanta do seu trono todo feito com ossos, ossos de

Humanos,anões,dragões,bruxas,e animais e outros seres enviados pra lá como pecado por

seus crimes!

Ali era onde todo ser maligno caia de todos os mundos magico.

O mago comandava todos eles, não era atoa que ele era intitulado como o rei do mundo das

trevas!

A figura começa a caminhas em torno de seu trono. Peter fica a metros de distancia vendo

tudo oque estava acontecendo…

O mago começa a caminhar lentamente olhando fixo para os olhos de Peter.

O garoto faz um sinal para sua mãe o trazer de volta… Liberta-lo daquele transi.

O mago começa a se aproximar cada vez mais, a figura era de assustar com seus 3 metros de

altura, quando Peter da por si… O mago agarra o garoto pelo pescoço e diz apenas uma frase.

“POSSO ENCONTRA-LO, SAI DO MEU PALACIO”

Por muito pouco o garoto fica sem sua alma.

Peter volta do transi tossindo forte repetidamente.
Peter volta do transi tossindo forte repetidamente.

 

-Porque demorou á  me trazer de volta?

– Desculpe querido, ele estava me bloqueando.

– Blo Bloqueando?

-Mais você é uma Deusa… Cof-Cof-Cof

– Sim! O mago também.

 

Peter ficou imóvel olhando para sua mãe.

 

Continua…